Entretenimento

UE manifestam preocupação com espionagem de dados pelos EUA

07/06/2013 16h07

LUXEMBURGO, 07 Jun 2013 (AFP) - A União Europeia expressou nesta sexta-feira sua "preocupação" após as revelações de espionagem de dados pela inteligência dos Estados Unidos, e que irá pedir às autoridades americanas mais informações sobre o caso.

"Estamos naturalmente preocupados com as possíveis consequências para a privacidade dos cidadãos europeus", declarou a comissária europeia para Assuntos Internos, Cecilia Malmstr¶m, após uma reunião de ministros do Interior da UE em Luxemburgo.

"Mas ainda é muito cedo para tirar conclusões. Precisamos de mais informações e entraremos em contato com nossos colegas americanos para maiores informações", acrescentou.

A UE e os Estados Unidos terão a oportunidade de abordar esta questão na próxima semana em uma reunião em Dublin com a participação dos ministros americanos da Segurança Interna, Janet Napolitano, e da Justiça, Eric Titular, e das comissárias europeias responsáveis por Assuntos Internos, Cecilia Malmstr¶m, e Justiça, Viviane Reding.

Os jornais The Washington Post e The Guardian revelaram na quinta-feira que a inteligência americana rastreia chamadas telefônicas nos Estados Unidos e tem acesso aos servidores de grandes empresas de tecnologia, como Google e Facebook, duas práticas herdadas da era Bush e aprovadas pela administração de Barack Obama.

Entre 2007 e 2011 os sites de Microsoft, Google, Yahoo!, Facebook, YouTube, Skype, AOL e Apple passaram a integrar um programa secreto da Agência de Segurança Nacional (NSA). Seus analistas passaram a ter acesso direto a e-mails enviados por Hotmail ou Gmail, assim como a todas as conversas, fotos, vídeos e bate-papos na internet.

A existência do programa PRISM foi defendida pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que disse que este "não se aplica a cidadãos americanos" ou a "pessoas que vivem nos Estados Unidos".

Em suas primeiras declarações desde a explosão da polêmica, Obama disse que é preciso balancear a segurança nacional com a privacidade das pessoas, mas ressaltou que é correto que este tema seja alvo de um debate público.

Os socialistas europeus apelaram à Comissão Europeia para "defender os padrões europeus de proteção da privacidade no contexto das negociações comerciais" com os Estados Unidos.

A Comissão "deve assegurar" o respeito "aos mais elevados padrões de proteção de dados pessoais" em futuras negociações com os Estados Unidos para um acordo de livre comércio, declarou em um comunicado o presidente do grupo socialista no Parlamento Europeu, Hannes Swoboda.

O grupo também pediu à Comissão para "verificar" se a legislação foi "respeitada em caso de envolvimento de cidadãos da UE".

jd¶-jlb/all/mr/dm



ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo