PUBLICIDADE
Topo

Unesco concede prêmio de liberdade de imprensa a jornalista etíope

03/05/2013 13h50

SAN JOSE, 03 Mai 2013 (AFP) - A Unesco e a Fundação Guillermo Cano entregaram simbolicamente nesta sexta-feira, em San José o prêmio à Liberdade de Imprensa 2013 à periodista etíope Reeyot Alemu, que se encontra presa desde 2011.

Ana María Busquets, viúva de Cano, assassinado em 1986 diante do jornal em que trabalhava na Colômbia, colocou o prêmio, uma medalha, sobre uma foto de Alemu, em meio aos aplausos dos presentes, entre eles a diretora da Unesco, Irina Bokova, e da presidente costarriquenha Laura Chinchilla.

Em uma mensagem de Alemu, lida por Alana Barton, da International Women's Media Foundation, a jornalista detida se disse impressionada e preocupada com os que lutam por alguma causa.

"Peço que façam o que puderem para deter esta opressão contra a imprensa", pediu, em sua mensagem.

O prêmio foi entregue no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, celebrado em 3 de maio, e este ano na Costa Rica.

Alemu foi detida em 2011 quando trabalhava como colunista e atualmente cumpre uma condenação de cinco anos de prisão.

Em 2010, fundou sua própria editora e uma revista chamada Cambio (Mudança), que foram posteriormente fechadas.

O prêmio foi criado em 1997 em memória de Cano, então diretor do jornal colombiano El Espectador, assassinado em 17 de dezembro de 1986.

mjm/mis/llu/cn