PUBLICIDADE
Topo

Centenas de artistas do Bolshoi defendem solista acusado

7.mar.2013 - Pavel Dmitrichenko, à esquerda, bailarino acusado de atacar com ácido o diretor artístico do balé Bolshoi assiste, da cela do réu, a audiência sobre o caso, em corte de Moscou - Maxim Shemetov/Reuters
7.mar.2013 - Pavel Dmitrichenko, à esquerda, bailarino acusado de atacar com ácido o diretor artístico do balé Bolshoi assiste, da cela do réu, a audiência sobre o caso, em corte de Moscou Imagem: Maxim Shemetov/Reuters

12/03/2013 14h18

Mais de 300 artistas do balé do Bolshoi pediram nesta terça-feira (12) ao presidente russo, Vladimir Putin, que crie uma comissão independente para investigar o ataque com ácido em janeiro passado contra o diretor artístico da prestigiada instituição de Moscou, Serguei Filin, e condenaram a acusação, que consideram precipitada, contra o solista Pavel Dimitrichenko.

"Pedimos aos líderes deste país que seja criada uma comissão independente para estabelecer as causas que provocaram esta tragédia", escrevem os artistas em uma carta ao presidente russo, também dirigida ao governo.

"Para os que conhecem Pavel Dimitrichenko, a ideia de que possa chegar a ser o instigador parece absurda", afirmam.

Dimitrichenko foi colocado na quinta-feira, dia 7 de março, em prisão preventiva e foi acusado como suposto instigador do ataque contra Filin.

A presidente da audiência, Marina Orlova, atendeu à solicitação dos investigadores, que pediram ao tribunal que prendesse o bailarino, detido na terça-feira, que admitiu que queria que Filin fosse agredido, mas negou ter pedido que o atacasse com ácido.

O bailarino compareceu junto ao suposto agressor, Yuri Arrusticar, e a um motorista, que também foram colocados em prisão preventiva. A polícia julgou que o assunto estava elucidado.

O diretor artístico do teatro Bolshoi, Filin, vítima da agressão com ácido no dia 17 de janeiro na porta de seu edifício, vinculou imediatamente o ataque a sua atividade profissional e declarou em uma entrevista à televisão que estava absolutamente certo da identidade de seu agressor, sem dar mais detalhes.

Filin, que sofreu queimaduras de terceiro grau, foi submetido a um enxerto de pele e a várias operações nos olhos, já que a córnea foi afetada.