Topo

Entretenimento

Hollywood se prepara para uma festa do Oscar imprevisível

24/02/2013 17h03

HOLLYWOOD , Estados Unidos, 24 Fev 2013 (AFP) - A nata de Hollywood se reúne este domingo para a cerimônia do Oscar, com "Argo", filme em que Ben Affleck revive o drama dos reféns no Irã, ameaçando desbancar "Lincoln", de Steven Spielberg, em uma das disputas mais imprevisíveis em anos.

O sol da Califórnia iluminava as réplicas das estatuetas douradas alinhadas ao lado do tapete vermelho estendido em frente ao Teatro Dolby, horas antes do verdadeiro desfile de moda que precederá a 85ª edição da Festa da Academia, o ponto alto da temporada de premiações de Hollywood.

Em uma festa prevista para ser fortemente musical, a cantora britânica Adele interpretará o tema do filme "007 - Operação Skyfall" e a diva Barbra Streisand fará sua primeira apresentação em festas do Oscar em 36 anos.

Affleck, que se vencer será a primeira pessoa a conquistar o Oscar de melhor filme sem ser indicado como diretor desde "Conduzindo Mis Daisy" em 1990, ganhou um empurrãozinho este sábado, quando o novo secretário de Estado americano, John Kerry, lhe desejou boa sorte em uma mensagem postada no microblog Twitter.

"Boa sorte, @BenAffleck e #Argo nos Oscars. É bom ver o @DepartdeEstado & nosso Serviço de Estrangeiros na telona.-JK", escreveu Kerry, em alusão à teoria do filme sobre um audacioso complô da CIA que teria resgatado seis diplomatas americanos em Teerã.

Spielberg, que disputa seu primeiro Oscar de melhor filme desde "A Lista de Schindler", em 1994, é o favorito, com 12 indicações para "Lincoln", mas "Argo" levou todos os prêmios de Hollywood até agora, apesar de estar indicado em apenas 7 categorias.

Embora tenha iniciado a temporada dois meses atrás como favorito, Spielberg pode ter que se contentar com o prêmio de melhor diretor, o qual Affleck não pode levar, por não ter sido indicado nesta categoria, algo que tem sido interpretado como uma crítica.

Mas, novamente pode haver uma surpresa entre os concorrentes, que incluem Ang Lee com "A Vida de Pi", David O. Russel com "O Lado Bom da Vida" e inclusive o austríaco Michael Haneke com o celebrado "Amor", vencedor da Palma de Ouro em Cannes.

O que é quase certo este domingo é que o protagonista de "Lincoln", Daniel Day-Lewis será indicado ao Oscar de melhor ator, sendo a terceira nomeação do ator britânico-irlandês depois dos prêmios faturados em 1990 com "Meu Pé Esquerdo", em 1998, e "Sangue Negro", de 2008.

Para melhor atriz, a favorita de primeira hora era Jessica Chastain, no papel de uma agente da CIA à caça de Osama bin Laden em "A Hora mais Escura", mas agora os ventos parecem soprar na direção de Jennifer Lawrence de "O Lado Bom da Vida".

A corrida para o prêmio de melhor atriz coadjuvante é mais aberta, embora Anne Hathaway provavelmente seja a favorita por sua comovente interpretação em "Os Miseráveis", também indicado ao prêmio de Melhor Filme.

Mas a corrida mais imprevisível talvez seja na categoria melhor ator coadjuvante, no qual concorrem a lenda hollywoodiana Robert De Niro, considerado favorito por alguns pela interpretação do pai de Cooper em "O Lado Bom da Vida".

Mas seus fortes rivais incluem o austríaco Christoph Waltz no papel de um caçador de recompensas que livra o personagem de Jamie Foxx da escravidão no filme "Django Livre", de Quentin Tarantino, assim como Tommy Lee Jones, de "Lincoln".

Na disputa ao prêmio de filme estrangeiro, o franco favorito é "Amor", que conquistou a Palma de Ouro do último Festival de Cannes ao fazer o retrato comovente de um casal de idosos que se vê confrontado com a decadência física e a doença mental.

A protagonista feminina, Emmanuelle Riva, pode inclusive roubar a cena na categoria de melhor atriz, segundo alguns críticos. A atriz veterana, que completa 86 anos este domingo, coincidentemente também é a mais idosa já indicada ao Oscar.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento