Entretenimento

Críticas e sarcasmo na Rússia por elogios de Depardieu ao governo de Putin

04/01/2013 13h16

MOSCOU, 04 Jan 2013 (AFP) - As redes sociais da Rússia fervilhavam nesta sexta-feira em críticas e ironias relacionadas ao ator francês Gerard Depardieu, que fez um elogio "à grande democracia" russa em uma carta de agradecimento ao presidente Vladimir Putin por tê-lo concedido a nacionalidade desse país.

"Gerard, venha no dia 31 de janeiro à Praça Triumfalnia (em Moscou) com seu novo passaporte russo no bolso. Todo dia 31, às 18 horas, nesta praça, cidadãos russos exigem o direito de se reunir pacificamente, como está contemplado no artigo 31 da Constituição. Esperamos por você, Gerard!", lançou na rede social LiveJournal o escritor Eduard Limonov, ativo opositor de Vladimir Putin.

Na quinta-feira à noite, a rede de televisão russa Pervyi kanal divulgou uma carta em que Depardieu declarava: "Conversei inclusive com o meu presidente, François Hollande (...) Sabe que gosto do seu presidente Vladimir Putin e que é algo mútuo. Disse a ele que a Rússia é uma grande democracia".

"Não esqueceremos e não o perdoaremos nunca por esta frase: 'É uma grande democracia'", declarou o jornalista Matvei Ganapolski à rádio opositora Echo Moskvy.

No Facebook, uma caricatura representa Depardieu caído, com uma balalaika (viola típica) na mão e calçado com lapti, sapatos artesanais trançados em vime como os que eram usados pelos camponeses russos antigamente.

Embaixo dessa caricatura proliferavam os comentários. "É um imbecil", escreveu Yelena Durden-Smith. "Não é um idiota, mas não está bem da cabeça", considerou Tanya Parokha, de Moscou.

No blog da Echo Moskvy, alguns se referiam diretamente à suposta queda do ator francês por bebidas "quentes". "Já não temos alcoólatras suficientes aqui? Além da isenção de impostos, talvez ganhe vodca gratuita e em quantidades ilimitadas.", escreve sparky.

Muitas pessoas que fizeram comentários se perguntam sobre se Depardieu realmente viverá na Rússia para desfrutar de um sistema fiscal mais favorável do que na França.

"Minha intuição me diz que Gerard não virá", escreveu vasatkavasa1 no LiveJournal, expressando um sentimento geral, enquanto especialistas ressaltam que a lei permite em alguns casos particulares que a pessoa se beneficie do sistema fiscal russo, embora não viva no país.

Na Rússia, onde não havia jornais em circulação devido às festas do Natal ortodoxo de 7 de janeiro, as reações podiam ser vistas nas redes sociais.

Putin concedeu na quinta a cidadaníia russa ao ator francês Gerard Depardieu, que confirmou em uma carta enviada ao regime russo que havia feito um pedido, no momento em que a França vive uma polêmica em torno de seu exílio fiscal.

Depardieu, que nesta sexta-feira estava na Ucrânia por assuntos pessoais, não anunciou se pretende ir à Rússia nos próximos dias.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Entretenimento

Topo