PUBLICIDADE
Topo

Revista francesa publica HQ sobre a vida de Maomé

03/01/2013 13h11

PARIS, 03 Jan 2013 (AFP) - Charlie Hebdo, a revista satírica francesa que provocou protestos internacionais e sofreu ataques depois de divulgar charges de Maomé, publicou nesta semana uma história em quadrinhos biográfica sobre o fundador do Islã, elaborada a partir de textos de cronistas muçulmanos, anunciou à AFP O diretor da publicação.

O editor da revista insiste que "A vida de Maomé", que apresenta em sua capa uma imagem do profeta guiando um camelo pelo deserto, é um trabalho educativo elaborado por um sociólogo franco-tunisiano.

"É uma biografia autorizada pelo Islã, já que foi redigida pelos muçulmanos. É uma recompilação do que cronistas muçulmanos escreveram sobre Maomé e nós simplesmente colocamos em imagens", afirmou Stephane Charbonnier, que também ilustrou a obra.

"Não acho que os muçulmanos mais instruídos possam achar algo de desapropriado", acrescentou Charbonnier, cuja revista já provocou, em várias ocasiões, a fúria dos muçulmanos com suas representações satíricas do profeta.

Apesar de Charbonnier insistir que o livro não tem segundas intenções e é inofensivo, algumas representações do profeta são consideradas sacrilégio pelos muçulmanos.

"O diretor da Charlie Hebdo afirma que os quadrinhos não são ofensivos para os muçulmanos. Transformar a vida do profeta do Islã em personagem de quadrinhos é em si mesmo um erro", escreveu no Twitter Ibrahim Kalin, conselheiro político do primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan.

"Trata-se de uma provocação. Recomendo aos muçulmanos que o ignorem", insistiu.

A porta-voz do governo francês, Najat Vallaud-Belkacem, considerou difícil julgar a publicação da Charlie Hebdo, mas destacou o fato de a França ser um país onde é preciso "velar sempre por um equilíbrio entre a liberdade de expressão e o respeito à ordem pública".