Topo

Entretenimento

Dissidente chinês chama vencedor de Nobel de Literatura de "poeta de Estado"

Sean Gallup/Getty Images
Escritor Liao Yiwu posa no Haus der Berliner Festspiele durante o Festival Internacional de Literatura de Berlim (17/8/11) Imagem: Sean Gallup/Getty Images

13/10/2012 14h06

O escritor dissidente chinês Liao Yiwu, refugiado na Alemanha, criticou severamente neste sábado (13) a atribuição do prêmio Nobel de literatura ao seu compatriota, Mo Yan, a quem considera um "poeta de Estado".

Mo Yan é "um poeta de Estado" que "se retira ao seu mundo habilitado quando é necessário", disse Liao Yiwu em uma entrevista ao semanário Der Spiegel.


Segundo Liao, seus amigos na China lhe perguntaram, após a atribuição do Nobel na quinta-feira, se o "Ocidente se vê como a prolongação do sistema chinês".

Mo Yan, de 57 anos, conquistou o Nobel de literatura de 2012 com uma obra qye descreve com "realismo alucinatório" a agitada história do seu país e seu apego às paisagens da China oriental de sua infância, segundo o comitê Nobel.

O escritor foi criticado por outros colegas chineses por não apoiar os autores dissidentes.

Em 2011, Liao Yiwu recebeu o Prêmio da Paz das livrarias alemãs, uma das recompensas literárias mais importantes do país.

 

Mais Entretenimento