Entretenimento

Morre aos 86 anos o escritor americano Gore Vidal

Paul Buck/Efe
O escritor norte-americano Gore Vidal morreu devido a complicações geradas por uma pneumonia Imagem: Paul Buck/Efe

01/08/2012 05h52

O escritor Gore Vidal, um dos gigantes da geração de autores americanos que inclui Norman Mailer e Truman Capote, morreu na terça-feira (31) aos 86 anos.

Burr Stevens, sobrinho do escritor, afirmou ao jornal "Los Angeles Times" que Vidal faleceu de complicações de uma pneumonia em sua residência nas colinas de Hollywood.

Vidal, um iconoclasta narrador da vida americana e autor de obras como "Lincoln" e "Myra Breckenridge", também ficou famoso por sua intensa vida social, ativismo político e agitada vida sentimental.

Ele escreveu 25 romances, ensaios e peças que fizeram sucesso na Broadway, além de roteiros para cinema e televisão.

Gore Vidal, que tinha uma visão mordaz da política em suas obras, tentou várias vezes, sem sucesso, ser eleito para cargos políticos. Gostava dos debates polêmicos na TV e apareceu no filme "Roma", de Federico Fellini.

"Ao fim de sua vida, Vidal era uma figura imponente que acreditava ser o último de uma raça, e possivelmente estava certo", escreve o jornal "New York Times" em seu obituário.

Morre o escritor Gore Vidal

Seu terceiro romance, "A Cidade e o Pilar", abordou sem subterfúgios o homossexualismo, decisão que escandalizou os críticos quando foi publicado em 1948, mas que abriu um novo terreno na literatura americana.

Abertamente bissexual, Vidal retornou ao tema da identidade sexual 20 anos mais tarde, com a sátira "Myra Breckenridge."

Alguns de seus livros abordam temas políticos ou a história dos Estados Unidos, traçando o que Vidal chamou de surgimento do império americano, como "Burr" (1973), "1876" (1976), "Lincoln" (1984), "Império" (1987), "Hollywood" (1990), e "A Era Dourada" (2000).

Entre suas sátiras se destacam "Kalki" (1978), "Duluth" (1983) e "Live from Golgotha: the Gospel according to Gore Vidal" (1992).

Suas opiniões políticas também provocavam enormes controvérsias, como uma discussão com insultos com o colunista conservador William Buckley diante das câmeras de TV.

Em outro episódio famoso, Vidal afirmava que Norman Mailer havia dado uma cabeçada em seu rosto ao fim de uma discussão antes de um programa de televisão.

Filho de um oficial do Exército, Vidal nasceu em 3 de outubro de 1925 na Academia Militar de West Point, dentro de uma família com excelentes contatos no mundo da política.

Seu fascínio pela política foi evidenciado em 1967 no livro "Washington DC", que conta a história de uma família de políticos.

Vidal disputou uma cadeira no Congresso em 1960 pelo distrito de Nova York, pelo Partido Democrata, mas não teve sucesso. Em 1982 fez campanha contra o governo de Jerry Brown nas primárias democratas na Califórnia.

Nos últimos anos, suas opiniões políticas ficaram ainda mais radicais. Vidal foi particularmente ácido com o governo do presidente George W. Bush, a quem chamou uma vez de "homem mais estúpido dos Estados Unidos".

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo