Entretenimento

Jean-Paul Guerlain julgado por racismo

09/02/2012 12h13

PARIS, 7 Fev 2012 (AFP) -Jean-Paul Guerlain, descendente do fundador da célebre casa de perfumes, compareceu nesta quinta-feira ante o tribunal correcional de Paris para responder por ofensa racial. Guerlain, de 75 anos, é julado por suas declarações feitas em 15 de outubro de 2010 ao canal France 2. Na ocasião, evocando a criação do perfume Samsara, o ex-perfumista da Guerlain afirmou: "Certa vez, trabalhei com um negro. Não sei se os negros sempre trabalharam assim, mas enfim...".

As reações de protesto foram imediatas e o especialista pediu desculpas, afirmando que suas palavras "não refletiam seu pensamento".

Mas suas desculpas não foram suficientes para acalmar a polêmica e evitar que várias organizações de luta contra o racismo abrissem uma ação judicial, entre elas o SOS Racismo e o Movimento contra o Racismo e pela Amizade entre os Povos.

O conselho representativo de Associações Negras (Cran) da França ameaçou, inclusive, com um boicote contra os produtos Guerlain em todo o mundo.

Ante a controvérsia, a firma Guerlain se apressou a classificar de inadmissíveis as palavras de Jean-Paul Guerlain, enfatizando que ele não é acionista da empresa desde 1996.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo