Entretenimento

De Reagan à Youssou Ndour: as celebridades que abraçaram a política

03/01/2012 15h50

PARIS, França, 3 Jan 2012 (AFP) -A exemplo do cantor Youssou Ndour, apontado pelo New York Times como "um dos maiores cantores do mundo", com a mistura do ritmo popular senegalês, o Mbalax, com samba, hip-hop, jazz e soul, e que anunciou candidatura à eleição presidencial do Senegal, vários artistas famosos optaram, também, pela política.

Ndour, 52, anunciou em um show no fim de novembro ter formado seu próprio movimento político, o Fekke ma ci bolle (que quer dizer "estou envolvido", no idioma wolof).

- O americano, RONALD REAGAN, foi o primeiro astro de cinema a tentar a aventura com sucesso. Comentarista esportivo numa rádio, e depois ator de série B durante mais de 20 anos, foi eleito governador da Califórnia em 1966, antes de obter, em 1981, o papel de sua vida: o de presidente dos Estados Unidos. Em 1984, aos 73 anos, ele foi reeleito em triunfo.

- ARNOLD SCHWARZENEGGER também passou do cinema à política. Fisiculturista, depois astro de Hollywood, esse herói de filmes de ação foi eleito governador republicano da Califórnia em outubro de 2003.

- Nas Filipinas, JOSEPH ESTRADA, astro de mais de cem filmes e adulador dos pobres, entrou na política em 1969 como prefeito, tornando-se, depois senador, vice-presidente, até chegar à magistratura suprema, em 1998.

- No Haiti, o cantor popular MICHEL MARTELLY, mais conhecido pelo nome artístico de "Sweet Micky", conquistou, em abril de 2011, com mais de 67% dos votos, a eleição presidencial, sucedendo a René Préval. Famoso por suas danças e excentricidades em cena, foi apoiado pelos jovens, reforçado pelo 'star' mundial do hip-hop, WYCLEF JEAN, ele próprio descartado da corrida presidencial, por não ter tido domicílio fixo no Haiti, nos últimos cinco anos.

- No Peru, o escritor MARIO VARGAS LLOSA, prêmio Nobel de Literatura, não teve tanto sucesso político, perdendo nas eleições presidenciais de 1990 para Alberto Fujimori.

- Naa Europa, o dramaturgo VACLAV HAVEL levou, em dezembro de 1989, a primeira presidencial da Tchecoslováquia pós-comunista. Amador do teatro do absurdo e autor de inúmeras peças dramáticas, foi eleito em 1993 presidente da nova República Tcheca, até sua retirada da política, dez anos mais tarde.

- Musicista e pianista célebre em seu país, VYTAUTAS LANDSBERGIS foi eleito, em 1990, presidente de uma Lituânia que se divorciava da União Soviética.

- Na África, compatriota de Youssou Ndour, o poeta e escritor LEOPOLD SEDAR SENGHOR, embaixador universal da cultura da África negra no mundo e um dos mais ardentes defensores da língua francesa, tornou-se, com a independência, em 1960, o primeiro presidente da República senegalesa. Fez de seu país uma das primeiras democracias da África, até se demitir do cargo, no final de 1980.

- Na Libéria, GEORGES WEAH, um dos maiores astros do futebol europeu, foi o candidato derrotado às presidenciais de 2005, ante a adversária Ellen Johnson Sirleaf, atual presidente.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Entretenimento

Topo