Topo

Entretenimento

Senegal quer transformar casa do poeta da Negritude em museu

France Presse

14/11/2011 14h04

DACAR, Senegal, 14 Nov 2011 (AFP) -O Estado do Senegal comprou a casa, em Dacar, de Léopold Sédar Senghor para fazer dela um museu, que levará o nome do ex-presidente do país e poeta da Negritude, falecido há dez anos. A informação foi divulgada domingo pelo Conselho de Ministros, em comunicado.

Segundo o texto, "o museu vai enriquecer o patrimônio cultural senegalês e contribuir para preservar uma parte importante da história de nosso país e de todos os africanos".

A casa de Senghor, desocupada e vigiada por forças de segurança, fica no bairro exclusivo de Fann, abrigando inúmeros objetos de arte e livros.

O ex-presidente senegalês passava muito tempo na residência, após ter deixado o poder no Senegal, país que dirigiu de 1960 a 1980.

Léopold Sédar Senghor, nascido em 1906 em Joal (oeste do Senegal), faleceu no dia 20 de dezembro de 2001 em Verson (França).

Poeta e escritor, Senghor cantou a Negritude, um movimento de defesa dos valores culturais do mundo negro que fundou nos anos 30 com Aimé Césaire (Marticnica) e Léon Gontran Damas (Guiana).

Foi o primeiro africano a ser eleito membro da Academia francesa.

mrb/ej/sd

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento