Topo

Entretenimento

BBC afirma que seis cineastas presos no Irã não são seus funcionários

19/09/2011 14h48

LONDRES, 19 Set 2011 (AFP) -A BBC desmentiu nesta segunda-feira, em um comunicado publicado em Londres, a informação de os que seis diretores de cinema iranianos presos neste fim de semana no Irã acusados de colaborar ilegalmente com a BBC-Television, eram seus funcionários.

A BBC "enfatiza que os seis diretores, atualmente detidos no Irã, não fazem parte de nosso quadro de funcionários", afirmou a rádio-televisão britânica. A empresa expressou ainda sua preocupação quanto ao destino dos presos.

"Essas pessoas são diretores de documentários independentes, seus filmes foram exibidos em festivais e em outras manifestações internacionais. Como é de costume (...) a BBC-Television comprou os direitos de exibição para esses filmes", disse no comunicado.

"Os documentários foram produzidos de maneira independente e não foram encomendados pela BBC", insistiu.

A BBC considera que este caso "se insere nas atuais tentativas do governo iraniano para fazer pressão" sobre a empresa "por causa da sua cobertura imparcial e equilibrada no canal de televisão de língua persa dos eventos do Irã e da região".

O site da televisão estatal iraniana anunciou nesta segunda-feira a prisão de "seis membros de uma organização secreta da BBC" no sábado.

Segundo o site IRINN, canal de notícias em língua persa, os cineastas "forneciam informações e filmes ao canal BBC com o objetivo de denegrir a imagem do Irã e do povo".

No Irã, é preciso ter uma autorização do ministério da cultura para poder realizar atividades jornalísticas.

O governo proibiu os iranianos de colaborarem com canais de rádio e televisão estrangeiros, principalmente com a BBC e VOA (Voz da América).

Esses dois canais são acusados por Teerã de participarem de um complô ocidental para desestabilizar o regime iraniano.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento