Entretenimento

Diálogo fé/ciências: Bento XVI entrega prêmio a teólogos europeus

30/06/2011 15h18

CIDade do Vaticano, Santa Sé, 30 Jun 2011 (AFP) -O Papa Bento XVI entregou, nesta quinta-feira, um prêmio criado em seu nome a três teólogos europeus, defendendo um melhor reconhecimento, pelo mundo da ciência, da contribuição dos pensadores cristãos, na procura da "verdade" profunda do homem.

O novo "prêmio Ratzinger" foi entregue na Sala Clementina do Vaticano ao italiano Manlio Simonetti, 85 anos, especialista em cristianismo dos primeiros séculos; ao espanhol Olegario Gonzalez de Cardedal, 77 anos, que estudou o confronto entre a fé cristã e a não crença e o bávaro Maximilian Heim, 50 ans, abade do mosteiro cisterciense de Heiligenkreuz - pertencente à Ordem Cisterciense, organizada por S. Bernardo (1090-1153) - perto de Viena, que se dedicou ao pensamento do papa.

Segundo o abade Heim, que fez parte, desde 2009, do "novo círculo" de alunos de Joseph Ratzinger, o papa "dedica atenção à sua época, com um olhar agudo e um senso profundo da realidade, compartilhando seu sofrimento e, precisamente por isso, resiste firmemente a todas as soluções muito evidentes".

Em sua intervenção, o papa alemão destacou "as questões que se tornam sempre mais urgentes e, à primeira vista, sem solução", nas relações entre a fé, a ciência e a razão".

"Se a teologia se retirar totalmente ao passado, ela deixa hoje a fé na obscuridade", disse.

"A razão experimental aparece hoje amplamente como única forma de racionalidade científica. O que não pode ser cientificamente verificado (...) cai fora do espaço científico", constatou Bento XVI.

"Com este posicionamente, obras grandiosas foram realizadas. Que isso seja justo e necessário no conhecimento da natureza e das leis, ninguém vai querer questionar", acrescentou, tomando também assim, sem ambiguidade, a defesa da autonomia das ciências.

"Existe, no entanto, um limite a um tal uso da razão: Deus não é um objeto de experimentação humana. Ele é Sujeito e se manifesta apenas na relação de pessoa a pessoa", disse.

Numerosas vezes, o papa preocupou-se com a hiperespecialização dos saberes científicos, que pensam que com suas descobertas ter soluções inovadoras para o homem, em matéria de bioética, mas se arriscam, segundo ele, a fazer do homem um objeto.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo