Entretenimento

Facebook não é 'necessário, nem suficiente' para fazer revolução, diz seu criador

25/05/2011 17h39

PARIS, 25 Mai 2011 (AFP) -O site de relacionamentos Facebook não é "nem necessário, nem suficiente" para fazer a revolução, afirmou esta quarta-feira, em Paris, seu fundador e diretor, Mark Zuckerberg, minimizando seu papel nos movimentos democráticos nos países árabes.

"Seria tremendamente arrogante para uma empresa tecnológica reivindicar um papel nos movimentos de protesto", declarou Zuckerberg, de 27 anos, na intervenção que encerrou dois dias de debates sobre a internet, uma cúpula batizada de e-G8, e que reuniu, em Paris, alguns diretores das principais empresas tecnológicas do mundo.

"O Facebook não foi nem necessário, nem suficiente" para fazer a revolução, insistiu Zuckerberg, na verdade foram "as populações que se encarregaram" destes movimentos de contestação.

O chefe da rede social reconheceu que "talvez o Facebook tenha podido contribuir e levar ferramentas" a estas revoltas, mas seu papel foi "muito menos importante do que o que disseram os meios de comunicação".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Entretenimento

Topo