Entretenimento

Von Trier apresenta 'Melancholia' e provoca constrangimento em coletiva

18/05/2011 12h02

CANNES, França, 18 Mai 2011 (AFP) -O dinamarquês Lars von Trier apresentou nesta quarta-feira no Festival de Cannes o filme "Melancholia", que disputa a Palma de Ouro, uma sátira sobre o fim do mundo, realizado segundo ele para superar uma depressão.

Na entrevista coletiva, Von Trier provocou constrangimento ao afirmar que compreendia e sentia "um pouco" de compaixão por Adolf Hitler.

Antes da polêmica, o diretor falou sobre o filme.

"Não é realmente um filme sobre o fim do mundo, e sim sobre um estado de ânimo. Passei por fases melancólicas, mas acredito que superei. Parei de beber, leio livros, agora me sinto bem. Mas a melancolia na arte, na música, é algo que sempre me agradou, algo que me comove", disse o diretor.

O filme começa no espaço sideral, com imagens do planeta "Melancholia", que segundo estudos de astrônomos se aproxima da Terra e a destruirá. A música do compositor alemão Richard Wagner aumenta a tensão.

Depois, Lars von Trier conta depois o que seriam os últimos dias do mundo através de duas irmãs, Justine e Claire, interpretadas pela americana Kirsten Dunst e pela francesa Charlotte Gainsbourg, vencedora em 2009 do prêmio de melhor atriz em Cannes por "Anticristo", também do dinamarquês.

Justine, publicitária, chega mais de duas horas atrasada ao próprio casamento e isto dá início a uma série de acontecimentos.

As cenas da festa lembram "Festa de Família", de Thomas Vinterberg, compatriota de Lars von Trier e seu companheiro no grupo "Dogma" (1990), que question todas as convenções, tanto do cinema como sociais.

A segunda parte do filme trata da iminente aproximação do planeta "Melancholia". Claire, o marido e o filho observam com crescente angústia o fenômeno em um telescópio.

Justine, nervosa e agitada durante o casamento, agora parece muito calma ante o choque de planetas. Ela proporciona ao pequeno sobrinho a única possibilidade de refúgio diante da catástrofe: "uma cabana mágica".

"Gosto de tudo o que tem relação com a dor, com o sofrimento, mas também tenho um lado de luz", disse o cineasta.

O dinamarquês afirmou que o planeta está destruído, mas disse que isto não é grave porque todos vão morrer. Além disso, destacou que segue muito interessado em arte.

Mas na sequência da entrevista, provocou polêmica, ao afirmar que compreendia e sentia "um pouco" de compaixão por Adolf Hitler, ao ser indagado sobre suas raízes alemãs.

Ao lado de Kirsten Dunst, Von Trier declarou entender o líder nazista.

"Eu realmente gostaria de ser judeu, e então descobri que na verdade eu era um nazista. Você sabe, porque minha família era alemã, Hartmann, o que também me dá um certo prazer", declarou, respondendo a uma pergunta sobre a origem alemã de sua família.

"Eu compreendo Hitler. Acho que ele fez algumas coisas erradas, sim, com certeza, mas eu consigo vê-lo sentado em seu bunker no final", afirmou o cineasta.

Quando Dunst, que também tem origem alemã, arregalou os olhos, claramente desconfortável com os comentários do diretor, e murmurou para Charlotte Gainsbourg um assustado "meu Deus!", Von Trier tentou acalmá-la: "mas eu tenho um argumento no final disto".

"Estou apenas dizendo", tentou explicar Von Trier, "que acho que entendo este homem. Ele não é o que você poderia chamar de um cara legal, mas sim, eu entendo muito a seu respeito, e sinto por ele um pouco de compaixão, sim. Mas vá lá, eu não sou a favor da Segunda Guerra Mundial. E não sou contra os judeus".

Sob o olhar incrédulo dos repórteres, aparentemente ainda não satisfeito, o cineasta concluiu sua fala com uma crítica a Israel e um elogio a Albert Speer, arquiteto oficial do Terceiro Reich.

"É claro que gosto muito dos judeus - mas nem tanto, porque Israel é um pé no saco. Mesmo assim - como é que eu termino esta frase? - eu apenas gostaria de dizer, sobre a arte, que gosto muito de Speer", indicou, destacando o "talento" do arquiteto nazista, condenado por crimes contra a humanidade.

"O.K., então, sou um nazista", disse Von Trier, dando de ombros.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Entretenimento

Topo