Entretenimento

Senado argentino condena bloqueio que impediu circulação de jornais

31/03/2011 06h35

BUENOS AIRES, 31 Mar 2011 (AFP) -O Senado argentino, com os votos do governo e da oposição, aprovou na quarta-feira uma declaração que condena o bloqueio como como forma de protesta sindical que impediu, no domingo passado, a circulação do jornal Clarín e prejudicou o La Nación.

Os senadores aprovaram por unanimidade um artigo da declaração que expressa o "repúdio à metodologia do bloqueio que, no domingo passado 27 de março, impediu a distribuição normal de um meio de comunicação gráfico".

Mais de 100 ativistas cercaram no domingo as gráficas do Clarín e do La Nación, em um ato que chamaram de "conflito sindical".

O protesto foi muito criticado no país. O governo também foi criticado pela inação para garantir a liberdade de imprensa.

Apesar da aprovação do texto, os senadores ligados à presidente Cristina Kirchner discordaram da oposição na interpretação do ocorrido.

Os manifestantes, que se identificavam como trabalhadores demitidos dos jornais Clarín e La Nación, impediram no domingo por quase 12 horas a distribuição normal dos jornais de maior circulação na Argentina.

Os adversários do governo e críticos da presidente Cristina Kirchner exigem uma explicação do por que as autoridades nada fizeram para desarticular o protesto.

Políticos opositores e entidades de imprensa questionam com duros termos o bloqueio ao parque impressor dos dois jornais.

O jornal Clarín circulou, na segunda-feira, com a primeira página em branco, em protesto.

O governo já havia cancelado em 2010 a licença concedida à firma Fibertel, do poderoso grupo Clarín, que fornecia serviços de internet a um milhão de usuários. Um ano antes também tirou da empresa a exclusividade de transmissão paga de partidas do futebol argentino, transferindo-a à televisão pública.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo