Entretenimento

Objetos incas de Machu Picchu devolvidos ao Peru têm recepção calorosa

30/03/2011 17h31

LIMA, 30 Mar 2011 (AFP) -Segurança máxima, televisão ao vivo, recepção presidencial: cerca de 400 peças arqueológicas de Machu Picchu receberam nesta quarta-feira acolhida excepcional no Peru, após serem devolvidas pela Universidade de Yale, um século depois de seu "empréstimo" do sítio inca.

Mais de 600 policiais foram mobilizados desde o amanhecer para recepcionar no aeroporto 30 caixas seladas, acompanhar a liberação na alfândega e o trajeto até a presidência a bordo de quatro caminhões, em comboio com sirenes ligadas para atravessar o tráfego intenso de Lima.

"Aqui estão os tesouros arqueológicos de Machu Picchu, restituídos pela Universidade de Yale. O Peru recuperou seu patrimônio, o Peru avança", comemorava um slogan impresso nos caminhões, que também exibiam uma foto gigante da cidade inca, um dos pontos turísticos mais visitados das Américas.

Vários esqueletos completos e ossadas, jarras, peças em cerâmica, adornos e ferramentas: é um lote de "366 peças com qualidade suficiente para serem expostas e cerca de mil fragmentos". Os objetos foram recebidos ao som do hino nacional na presidência, segundo o ministro da Cultura, Juan Ossio.

"São tesouros, mesmo que não sejam feitos de ouro ou de pedras preciosas, já que representam a dignidade e o orgulho do Peru (...). Bem-vindos a parte do nosso passado, da nossa carne, do nosso sangue", declarou o presidente Alan Garcia, cercado por seus ministros, antes dos tiros de canhão.

No total, cerca de 45 mil objetos - a maioria fragmentos - serão restituídos até o fim de 2012, segundo um acordo concluído em 2010 entre Yale e o Estado peruano. Eles serão entregues à Universidade de Cuzco, cidade de acesso a Machu Picchu e centro histórico do Império Inca.

Após oito anos de tentativas fracassadas junto a Yale, Alan Garcia conduziu ano passado uma intensa campanha midiática e diplomática para recuperar essas peças e associá-las às celebrações, previstas para julho, da "descoberta ocidental" de Machu Micchu pelo americano Hiram Bingham.

O arqueólogo-explorador, inspiração para o personagem "Indiana Jones", ficou para a posteridade por ter "descoberto" em junho de 1911 a cidade inca em um promontório rochoso a 2.500 metros de altitude, na Cordilheira dos Andes. Uma cidade que os conquistadores espanhóis não haviam conseguido encontrar.

Bingham foi, sobretudo, o homem que revelou ao mundo a existência de Machu Picchu, apesar de os camponeses locais já saberem de sua localização há muito tempo. Durante expedições entre 1912 e 1916, ele levou peças para estudar nos Estados Unidos, comprometendo-se a devolvê-las. Uma promessa não cumprida.

Os tesouros ficarão em "quarentena" por dois dias, serão cuidadosamente inspecionados e depois expostos por alguns dias em Lima, segundo o ministro da Cultura.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo