Topo

Entretenimento

Coleção de Galliano para sua marca é apresentada na ausência do estilista

06/03/2011 21h29

PARIS, 6 Mar 2011 (AFP) -A charmosa coleção criada por John Galliano para sua própria marca foi apresentada neste domingo em Paris em um luxuoso salão privado na ausência de seu criador, que saiu de cena desde a divulgação de declarações antissemitas que fez quando estava bêbado.

Muito aplaudida, a apresentação da minicoleção desenhada pelo estilista para sua marca "John Galliano", que pertence em 90% à grife Dior, transcorreu em um clima bastante tranquilo, após a tempestade gerada pelas declarações do estilista, que provocaram sua demissão da Dior.

Cerca de 20 sofisticadas roupas foram apresentadas a compradores e jornalistas no salão barroco, repleto de almofadas de veludo.

Os espectadores eram recebidos pelo presidente da Dior, Sidney Toledano, que na sexta-feira, no desfile desta grife desenhado por Galliano, atacou as declarações "intoleráveis" feitas por quem foi o diretor artístico da empresa até a última terça-feira.

"Nos maus momentos, é preciso avançar", disse Toledano à AFP. "Estou aqui para apoiar as equipes" da grife, acrescentou o presidente da Dior antes da apresentação da coleção, desenhada pelo estilista britânico de 50 anos para o próximo outono-inverno.

Evocando a elegância sofisticada dos anos 1950, a coleção incluiu vestidos de noite em delicados e transparentes tules, ternos de tweed com a cintura bem marcada, saias justas e casacos de pele.

Esta miniapresentação pôs fim a uma das mais frutíferas e bem-sucedidas colaborações na moda, que durou 15 anos, nas quais o talento e a visão de Galliano, cujos desfiles costumavam ser sempre acompanhados por um perfume, fez a grife ganhar milhões de dólares.

Enquanto isso, o estilista, antes adulado e agora um pária no mundo da moda, entrou, ao que parece, em tratamento de desintoxicação.

Galliano deverá comparecer ante a justiça francesa durante o segundo trimestre de 2011 para responder às acusações de "injúria racial", depois de ser preso na semana passada em um bar de Paris após um casal o acusar de fazer "insultos antissemitas" e racistas.

As portas da Dior se fecharam definitivamente para Galliano depois que um jornal britânico publicou um vídeo no qual o estilista declarava "Amo Hitler".

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento