Entretenimento

Berlinale: futuro, amor, solidão e criatividade na era da internet

15/02/2011 16h15

BERLIM, 15 Fev 2011 (AFP) -A jovem e talentosa diretora americana Miranda July apresentou nesta terça-feira, na mostra competitiva do Festival de Cinema de Berlim, o filme "The future", uma fábula poética sobre o amor, a solidão e a criatividade, na qual a internet desempenha um papel importante.

Dona de uma beleza delicada, Miranda July, que em 2005 ganhou a Câmera de Ouro do Festival de Cannes com seu primeiro filme, "Eu, Você e Todos Nós", é ao mesmo tempo roteirista, diretora e protagonista da fita.

A heroína, Sophie, mora com Jason (Jamish Linklater) em um pequeno apartamento de Los Angeles. Os dois passam horas conectados à internet. Parecem se entediar juntos e talvez o amor esteja acabando. Ela é professora de dança para crianças e ele descobre uma alma de ecologista, preocupado com o aquecimento global, vendendo pequenos arbustos de porta em porta.

A história tem aspectos surrealistas, como o gato que espera ser adotado pelo casal e de vez em quando se lança em monólogos.

"Quando estava escrevendo o roteiro às vezes não me sentia humana, por isso decidi escrever do ponto de vista do gato. Todos, eu imagino, embora sejamos pessoas ativas, às vezes vivemos este sentimento de estranheza, de vacio, de solidão", explicou Miranda July.

Sophie ama Jason, mas como uma sonâmbula, talvez sob a influência da lua cheia, telefona para um desconhecido, que na verdade é um vizinho de 50 anos, e quase sem perceber acaba nua nos braços dele.

"O mais difícil é falar de amor de uma forma nova. Queria buscar outro meio de mostrar o amor e a perda deste sentimento, também o desejo de estar em contato com a natureza e a inquietação que às vezes a natureza nos provoca", acrescentou.

Através da dança, Sophie quer soltar sua criatividade e passa horas filmando a si própria para criar uma coreografia para postá-la no site YouTube.

"Quis mostrar este lado espiritual da criatividade, inclusive um pouco místico, em contradição com esse desejo de Sophie de criar uma dança para postar no YouTube, algo que está destinado a chamar a atenção", disse.

"Há dez anos era mais fácil, quando querer ser ouvido não era tão vergonhoso. A internet, ao mesmo tempo, nos expõe e criou uma consciência mais aguda da nossa necessidade de que os outros reajam ao que propomos", disse Miranda July.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo