Topo

Entretenimento

Circular deve garantir cachimbo de Jacques Tati em cartaz

27/01/2011 07h25

PARIS, 27 Jan 2011 (AFP) -A Assembleia Nacional francesa desistiu de excluir o patrimônio cultural da atual lei antitabaco em troca da promessa do governo de elaborar rapidamente uma circular para preservar a integridade das peças afetadas.

André Malraux sem o cigarro em um selo dos correios, o cigarro desaparecido em uma imagem de Jean-Paul Sartre para o catálogo de uma exposição, o desaparecimento do proverbial cachimbo do cineasta Jacques Tati em um cartaz foram alguns exemplos das obras atingidas pela lei.

Vários deputados manifestaram incômodo com os retoques fotográficos, classificados de "falsificações da História" e atos de "censura" dignos de regimes totalitários.

"Me comprometo que trabalharemos na elaboração de uma circular para garantir a preservação da integridade das obras culturais e dos objetivos da luta antitabaco, com o objetivo de que a circular seja operacional dentro de 15 dias", disse Nora Berra, secretária de Estado para a Saúde.

Com a promessa, o grupo socialista retirou a proposta de lei com a qual pretendia excluir o patrimônio cultural da aplicação que considerava muito rigorosa da lei Evin, que proíbe desde 1991 qualquer propaganda, direta ou indireta, a favor do cigarro.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento