Topo

Música

Por que 6ix9ine diz ser o rapper mais odiado do momento

Reprodução/Instagram
O rapper Tekashi 6ix9ine, com seu visual bem autêntico Imagem: Reprodução/Instagram

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

19/08/2018 04h00

Nada como um meme para criar um ídolo. Em uma cena com gente como Drake, Jay-Z e Kendrick Lamar, se destacar no rap norte-americano é um desafio e tanto, e poucos conseguem um lugar ao sol. Tekashi 6ix9ine é um dos mais recentes nomes a despontar e, curiosamente, foi a partir de uma brincadeira na internet que sua fama cresceu. Os cabelos e próteses dentárias coloridos, as tatuagens no rosto e as polêmicas com a Justiça também ajudaram a bombar seu nome, além de sua potência vocal e verbal.

Há quem o conheça desde 2017, quando surgiu seu maior hit, "GUMMO", ou que tenha lido sobre suas polêmicas recentes e o lançamento de seu último single, "FEFE", com Nicky Minaj, que já chega a 165 milhões de visualizações no YouTube. O fato é que 6ix9ine já ganhou um espaço cativo no noticiário norte-americano. Como as polêmicas são uma constante, ele até vem dizendo: "Sou o cara mais odiado nesta indústria. Talvez o mais temido também."

Para a imprensa norte-americana, é isso mesmo: fácil de odiar, mas impossível de ignorar. 

Reprodução
Meme sobre o rapper 6ix9ine bombou nas redes Imagem: Reprodução

O meme

6ix9ine começou em um nicho do rap norte-americano chamado soundcloud rap --ou mumble rap--, que abrange músicas mais simples que eram distribuídas pela plataforma online SoundCloud. Um tuíte dele viralizou: "Depois de derrotar todos os rappers do SoundCloud, você tem que encarar essa cara como o chefão da fase final".

6ix9ine, norte-americano de origem mexicana e que se chama Daniel Hernandez, começou a lançar seus raps em 2014, com singles e videoclipes. O primeiro a se destacar foi "POLES1469", em abril de 2017, ao lado de outra revelação, Trippie Redd. Quatro meses depois, ele estourou com seu primeiro hit: "GUMMO".

"GUMMO" foi lançada em novembro e já tinha todos os elementos pra chamar a atenção: o visual do rapper, sua voz agressiva e rasgada, considerada um de seus trunfos, letras destilando a realidade das ruas de Nova York e a menção a uma das principais gangues do rap americano, a Bloods. 

A faixa ganhou platina e levou ao lançamento da mixtape "Day69". O disco chegou ao quarto lugar nas paradas norte-americanas e trouxe em sua capa uma das manias de 6ix9ine: uma representação dele próprio como um anime nas artes de seus lançamentos.

O último hit é "FEFE" com Nick Minaj, que ganhou um clipe em que ambos aparecem dividindo algumas casquinhas com sorvete.

Musicalmente, 6ix9ine bomba. As polêmicas ficam pelas letras agressivas e pelo fato de ele não ser negro e usar o termo "nigga" aos montes em suas rimas, o que costuma ser criticado nos Estados Unidos, por uma palavra usada frequentemente de forma pejorativa.

Uma lista de polêmicas

6ix9ine não consegue se livrar de polêmicas. A principal delas vem de antes de sua fama e o afeta até hoje. Na última semana, por exemplo, ele teve um pedido de prisão decretado por um caso que ele se admitiu culpado.

Em 2015, ele assumiu a culpa por um caso em que aparece em vídeos com conteúdo sexual junto a um amigo e uma menina de 13 anos. 6ix9ine afirmou que não sabia que se tratava de uma menor e disse que ele era também menor --o que não procede, já que ele já havia completado 18 anos. 

Divulgação
Imagem: Divulgação

No acordo dado ao rapper, hoje com 22 anos, foi combinado que ele não poderia praticar crimes pelos dois próximos anos. Não foi o que aconteceu. Ele foi acusado de ordenar um tiroteio contra outro rapper, Chief Keef, em Nova York, após uma troca de provocações nas redes sociais entre eles. Em julho deste ano, foi detido devido a um mandato referente a uma acusação de que estrangulou uma menina de 16 anos em janeiro, mas foi liberado sob fiança.

Além de haver o pedido, ainda não julgado, para que ele seja preso por três anos, 6ix9ine ainda sofreu um estranho sequestro-relâmpago no Brooklyn, em julho, quando apanhou e foi roubado. Foram levados US$ 750 mil em jóias e US$ 20 mil em dinheiro.

Apesar de tudo, 6ix9ine pontua: "Tenho muito amor no coração". Além de ser um rapper que conseguiu juntar as gangues rivais Bloods e Crips em um clipe, "Kooda", seu Instagram mostra um pouco da tentativa de devolver à comunidade, ao seu estilo, o que conquistou. Se em alguns vídeos de balada ele atira dinheiro pelos ares, em outros ele enfileira crianças pobres e as presenteia com notas de dólares.

THEY WANT ME IN BEHIND BARS I AINT READYYYYYYYYY YET :/

Uma publicação compartilhada por FEFE OUT NOW (@6ix9ine)

em

LMAOOOOOOOOOO I found a picture of me in a soccer team when I was younger I had no hair

Uma publicação compartilhada por FEFE OUT NOW (@6ix9ine)

em

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!