Livros e HQs

Membro da Academia do Nobel de Literatura é acusado de assédio sexual

Shi Tiansheng
13.out.2016 - Sara Danius anuncia prêmio Nobel de Literatura para Bob Dylan Imagem: Shi Tiansheng

De Estocolmo (Suécia)

24/11/2017 18h55

Academia Sueca, que concede o Prêmio Nobel de Literatura, foi afetada por um escândalo de assédio sexual, após a denúncia de quase 20 mulheres contra uma figura estreitamente ligada à instituição.

Um total de 18 acadêmicas, mulheres de acadêmicos e algumas de suas filhas afirmaram ter sido agredidas e estupradas por um dos homens mais influentes da cena cultural de Estocolmo, publicou nesta terça (21) o jornal "Dagens Nyheter".

A onda de denúncias de assédio sexual, que começou em Hollywood e se estendeu pelas redes sociais com a hashtag #MeToo (Eu também), chega assim ao mundo das letras de um dos países líderes em igualdade de sexos.

O nome do suposto agressor não foi divulgado para respeitar a presunção de inocência, embora tenha aparecido em vários fóruns on-line.

Casado com uma escritora estreitamente ligada à Academia Sueca, o acusado dirige um centro de exposições na capital, em parte financiado pela Academia, que organiza ali as leituras dos premiados.

É neste espaço em que teriam ocorrido algumas das agressões, cometidas entre 1997 e 2017.

Os relatos das supostas vítimas foram corroborados por testemunhas oculares, segundo o jornal.

Uma delas afirmou ter sido estuprada em um apartamento de Estocolmo. "Todo mundo sabe e sempre soube" que ele agredia as meninas, assegurou a vítima.

As afetadas preferiram ficar em silêncio para não arriscar suas carreiras, devido à relação estreita que o acusado tem com editores, produtores, diretores e compositores.

Após uma "reunião de crise" na quinta à tarde, a Academia Sueca, que comprou um apartamento para o acusado em um bairro central de Paris, anunciou que rompeu todos os vínculos com ele.

A Academia fará uma investigação interna para saber se o acusado "teve alguma influência, direta ou indireta, na atribuição de prêmios, bolsas ou financiamento de alguma outra natureza".

A ministra da Cultura, Alice Bah Kuhnke, lamentou ter concedido a ele, em 2015, a medalha da Ordem Real da Estrela Polar, reservada aos membros da família real sueca ou a personalidades estrangeiras por seus serviços ao país.

O acusado, que não quis responder às solicitações da agência France Press, afirmou inocência ao jornal sueco Dagens Nyheter.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Página Cinco
EFE
Da Redação
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
AFP
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
DW
Página Cinco
Da Redação
Da Redação
Página Cinco
Roberto Sadovski
Página Cinco
EFE
Página Cinco
EFE
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Da Redação
BBC
BBC
Página Cinco
UOL Música
Página Cinco
do UOL
UOL Jogos
EFE
Página Cinco
AFP
Página Cinco
do UOL
UOL Jogos
EFE
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
AFP
Página Cinco
EFE
AFP
BBC
Topo