Topo

Livros e HQs


11 livros infantis para meninas que não querem ser apenas princesas

Divulgação
Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

03/06/2018 04h00

Há tempos os livros infantis deixaram de ser apenas sobre princesas, chapeuzinhos e meninas indefesas. Com as mudanças na sociedade nos últimos anos, criou-se também um nicho neste mercado, destinado às meninas.

De lições de feminismo a histórias de mulheres marcantes por sua força e por suas jornadas, muitas obras surgiram para mostrar desde cedo um caminho mais livre para as garotas. Entre as histórias, destacam-se biografias com linguagem compreensível para o público infantil de personalidades como Frida Kahlo e Clarice Lispector -- ambas na coleção Antiprincesas --, dicas contra assédio e mostras de como "coisa de menina" é tudo o que ela quiser.

Veja alguns livros direcionados às garotas

  • Divulgação

    "Histórias de Ninar Para Garotas Rebeldes"

    Este livro traz cem histórias de mulheres que ajudaram a mudar o mundo, ilustradas por 60 artistas mulheres do mundo inteiro. Elena Favilli e Francesca Cavallo trazem personalidades como a Rainha Elizabeth, Serena Williams e até a brasileira Maya Gabeira. Tudo com linguagem voltada ao público infantil. O livro ganhou uma sequência.

  • Divulgação

    "50 Brasileiras Incríveis para Conhecer antes de Crescer"

    Na mesma linha do livro citado antes deste, agora as histórias são voltadas para as brasileiras que são chamadas de "heroínas da vida real". Cecília Meireles, Chica da Silva, Princesa Isabel e Maria da Penha tem suas histórias de coragem e superação contadas pela jornalista Débora Thomé.

  • Divulgação

    "O Mundo no Black Power de Tayó"

    Uma menina de 6 anos mostra todo o amor que tem por sua cor de pele e por seu cabelo black power -- e todo o universo de possibilidades para enfeitá-lo. A autora, Kiusam de Oliveira, é pedagoga, e usa a história da alegre garotinha para dar exemplo a outras meninas e mostrar detalhes da cultura negra.

  • Divulgação

    "Não me Toca, seu Boboca"

    Como o nome já indica, este livro surgiu como ferramenta para educar crianças e jovens contra o abuso sexual infantil. Ele conta a história da coelha Ritoca, que não gosta da aproximação de um "tio". A história de Andrea Taubman mostra qual a melhor reação para estes casos e dá mais dicas importantes, como o que pode ou não ser tocado por outras pessoas.

  • Coleção Antiprincesas

    Mais a fundo do que nos livros de tom biográfico citados a cima, a coleção antiprincesas mostra personalidades femininas que não estão no padrão "princesa" e que foram importantes nas lutas pelo direito da mulher. Clarice Lispector, Frida Kahlo e Violeta Parro estão entre as retratadas.

  • "Quem tem Medo de Dizer Não?"

    Com alegorias e metáforas, Ruth Rocha explica que é às vezes é difícil fizer "não", mas que é importante saber fazê-lo. Na história, uma menina boazinha que nunca recusa nada se sente mal por isso, a ponto de comer o que não gosta ou deixar que passem na sua frente em uma fila. Mas ela aprende sua lição.

  • "Coisa de Menina"

    Usar rosa ou brincar de boneca são só para menina? O livro "Coisa de Menina", de Pri Ferrari, vai bem além destas questões triviais e mostra como as garotas podem ser o que quiserem, dando enfoque em profissões e mostrando como elas podem escolher ser de atletas a presidentas.

  • Divulgação

    "Morango Sardento"

    Um dos livros da série se chama "Morango Sardento e o Valentão da Escola" e - tanto para meninas quanto para meninos - ajuda a lidar com situações de bullying, mostrando o que a criança pode fazer para se livrar desse tipo de problema. A autora é Julianne Moore, atriz famosa por filmes como "Jurassic Park".

  • "Malala, A Menina Que Queria Ir Para A Escola"

    Citado como "primeiro livro-reportagem" para o público infantil, o livro de Adriana Carranca traz a história da jovem paquestanesa Malala Yousafzai. Ela ficou conhecida mundialmente por defender a educação para as mulheres e ser baleada pelo Talibã por conta de sua causa, quando tinha 15 anos. Hoje, segue na luta por educação e ganhou o Nobel da Paz

  • "Por que só as Princesas se Dão Bem?"

    De Fabiana Salomão e Thalita Rebouças, este livro passou da marca de 1 milhão de unidades vendidas com seu conto de fadas às avessas. A intenção é mostrar que ser uma princesa nem sempre é essa maravilha toda e que a infância é pra ser aproveitada brincando com o que tem e do jeito que são.

  • Divulgação

    "Até As Princesas Soltam Pum"

    O autor Ilan Brenman mostra em sua história com até as princesas tem gestos comuns com todos os outros e que isso não as faz menos importantes ou belas do que são.

Mais Livros e HQs