PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

De corrida de esperma a melhor funeral: os realities mais bizarros do mundo

Cena do reality show sul-coreano "The Masked Singer" - Divulgação
Cena do reality show sul-coreano "The Masked Singer" Imagem: Divulgação

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo

11/08/2018 04h00

A cada ano, o Big Brother Brasil tenta se renovar e surpreender o público com provas cada vez mais bizarras. Mas, se no Brasil o BBB recebe inúmeras críticas por exagerar em busca de audiência, no exterior, existem realities tão estranhos, que nos fariam achar o BBB um programa infantil.

Recentemente, a FOX demonstrou interesse em comprar os direitos o reality sul-coreano "The Maked Singer", que é uma mistura entre "The Voice" com "Show dos Famosos". Nele, cantores famosos usam máscaras muito estranhas enquanto um júri decide se eles devem continuar ou não na competição. Caso sejam reprovados, eles devem revelar a sua identidade. Trazendo para a realidade brasileira, seria como botar uma Ivete Sangalo para cantar e reprová-la publicamente.

É nos Estados Unidos, no entanto, onde estão os realities mais estranhos do mundo. Tem aquele que acompanha a chegada de uma família Amish em uma cidade, um outro mostra a rotina de uma funerária especializada em velórios divertidos e um concurso para eleger a melhor barba.

Mas nada, absolutamente nada, chegou aos pés do programa alemão "Sperm Race", em que os espermatozoides de 12 homens (sendo duas celebridades) apostarão uma corrida para saber quem conseguirá fecundar um óvulo primeiro. Tudo acompanhado pelas câmeras.

Os realities show mais bizarros do mundo

  • Cantores mascarados

    Se não fossem pelas máscaras bizarras, o reality show sul-coreano "The Masked Singer" até poderia ser considerado normal. Deve ser por isso que este programa esteja despertando a atenção de vários canais de TV pelo mundo. A Fox, nos Estados Unidos, já comprou os direitos e promete fazer a sua própria versão. Funciona assim: artistas famosos se apresentam fantasiados de uma forma que ninguém os reconheça. Jurados, também famosos, decidem se eles devem continuar ou não na competição. Os eliminados revelam a sua identidade e, quase sempre, causam espanto na plateia por serem grandes celebridades --que agora foram rejeitadas pelos jurados.

  • Corrida do espermatozoide

    Uma insana corrida entre milhões espermatozoides resulta em apenas um vencedor que fecunda um óvulo e gera a vida. Agora, imagine acompanhar esta corrida em um reality show? Pois foi mais ou menos isso que o alemão "Sperm Race" fez em 2005. Nele, 12 homens doam seus espermas, que são levados para um laboratório e competem para ver quem irá fecundar primeiro um óvulo. O dono do esperma vencedor ganha um Porsche. A despeito de todos os dilemas éticos causados por uma situação como essa, o programa realmente foi feito, mas a corrida não foi transmitida. No fim, o programa ganhou uma roupagem de "documentário" ao mostrar como era a vida dos participantes e alertar sobre fertilização, um tema que gera bastante interesse na Alemanha.

  • Largados e Pelados

    O reality "Largados e Pelados", exibido no Brasil pelo Discovery Channel, não tem nenhuma conotação sexual. A premissa, no entanto, é bastante incomum. A cada episódio um homem e uma mulher que não se conhecem são largados pelados na natureza e têm que sobreviver por 21 dias. A dupla precisa encontrar água, alimento e abrigo, contando apenas com um único objeto que trouxeram da civilização. Os participantes podem desistir a qualquer momento, mas se aguentarem até o fim são resgatados por um helicóptero. Durante o programa, eles são analisados com base no índice de Avaliação de Sobrevivência Primitiva.

  • Chegou a Honey Boo Boo

    O reality show "Here Comes Honey Boo Boo" surgiu a partir de outro reality show e causou polêmica nos Estados Unidos. Tudo começou quando a garotinha Alana, de 6 anos, a Honey Boo Boo, participou do reality show "Toddlers and Tiaras" (Pequenas Misses) e sua apresentação foi tão original que despertou a atenção dos produtores. O programa, ambientado na casa da família, acompanha a garotinha nas mais bizarras situações. Vale o destaque também para o forte sotaque caipira deles, sendo que em alguns momentos é preciso legendas para entender o que dizem. O programa tem muita escatologia, como piadas com pum, comidas bizarras e vergonha alheia. O bordão do programa vira uma frase dita por Honey Boo Boo, em que ela afirma: "É melhor respeitar os caipiras".

  • As melhores luzinhas de Natal

    O Natal é aquela época mágica do ano em que você compra centenas de luzinhas, decora toda a sua casa, monta a sua árvore e reserva um dia para visitar aquela rua da sua cidade em que todas as casas são decoradas. Pois nos Estados Unidos essa tradição é levada tão a sério que há até um reality show, o "The Great Christmas Light Fight", que acompanha a montagem e escolhe as mais bonitas. A cada episódio, os produtores acompanham uma casa e, no final, eles julgam como as luzinhas foram usadas, o design, e o "espírito natalino". O ganhador leva US$ 50 mil. Há ainda uma versão do reality show para o Halloween.

  • Vanilla Ice vira Amish

    Amish é um grupo religioso cristão dos Estados Unidos e Canadá super conservador. Essas pessoas restringem o uso de equipamentos eletrônicos, como telefones e automóveis. Nos EUA existem vários realities shows sobre eles. Alguns acompanham as crianças amish sendo confrontadas com as tecnologias do "mundo real". O mais curioso de todos é o "Vanilla Ice Goes Amish", em que o rapper Vanilla Ice, dono do hit de sucesso da virada dos anos 80 para os 90 "Ice Ice Baby" visita uma comunidade amish para aprender seus costumes e, quem sabe, também virar um deles.

  • O melhor funeral do mundo

    O funeral de um ente querido é sempre um momento de tristeza e despedida. Mas será que tem que ser sempre assim? O reality show "Best Funeral Ever" tenta mudar essa perspectiva ao acompanhar o trabalho da empresa Golden Gate Funeral Home, de Dallas, no Texas, especializada em funerais extravagantes, divertidos e criativos. Os funerais sempre são repletos de dança e música, alguns acontecem dentro de ringue de boxe, em lojas de brinquedos, em pistas de boliche, etc. O objetivo é transformar o pior momento de suas vidas no mais divertido de todos.

  • Príncipes secretos

    O filme "Um Príncipe em Nova York" imagina o que aconteceria se um membro da realeza se mudasse para os Estados Unidos com o objetivo de viver a vida comum. O reality show "Secret Princes" levou essa premissa a sério e convidou vários membros de famílias reais espalhadas pelo mundo, que deixam seus países para tentar encontrar o amor na América. Entre os participantes estão membros da realiza espanhola, indiana, inglesa, entre outras. No reality, eles vivem de maneira frugal, tentam arrumar trabalhos ordinários como cozinheiros e lavadores de carros e buscam uma mulher para namorar.

  • A guerra dos bigodudos

    Barba e bigode é coisa séria. O reality show "Whisker Wars" sabe disso e acompanha diversos homens que transformam os pelos do rosto em verdadeiras obras de arte. Esqueça os hipsters na série. Os competidores, são homens comuns apaixonados pelas suas barbas que inventam os mais loucos penteados para elas. Os competidores, aliás, foram escolhidos a partir de clubes de barbas e bigodes espalhados pelo país. Um dos jurados é o guitarrista do ZZ Top Billy Gibbons, famoso por sua vistosa barba. O objetivo final do programa é formar uma equipe americana que consiga vencer no campeonato mundial os alemães, imbatíveis quando o assunto é barba e, para isso, eles contam com Jack Passion, uma espécie de celebridade quando o assunto são os pelos do rosto.

  • Sem dormir

    O reality show britânico "Shattered" tem como único objetivo acompanhar quem consegue ficar sete dias sem dormir. Para isso, eles inventam as distrações mais criativas para evitar o sono. Mas outros testes também são realizados com os participantes para testar a clareza mental, capacidade cognitiva, entre outros. Há ainda algumas coisas feitas para atrapalhar, como massagens faciais, abraçar ursos de pelúcia gigantes, ouvir histórias de ninar e contar carneirinhos na televisão. O prêmio é de 100 mil libras. Mas, a cada dez segundos que o participante fica com os olhos fechados, são deduzidos 10 mil libras de seu prêmio.

  • Descubra os héteros

    O reality "Playing it Straight", criado no início dos anos 2000, tem uma premissa para lá de polêmica. Uma mulher passa um tempo com um grupo de homens em uma fazenda. Metade deles são gays e outra metade é hétero. Todos os gays, no entanto, fingem ser héteros. O objetivo é a garota eliminar todos os gays do programa. Para isso, várias atividades são realizadas para ajudá-la na escolha. Ao final, se o homem que ela escolher for hétero, eles dividem o prêmio de um milhão de dólares. Se o homem for gay, ele leva o prêmio sozinho. O programa também ganhou versões na Austrália e no Reino Unido.

  • Sobrevivendo a um game show japonês

    Como se não bastasse os game shows dos Estados Unidos, o canal de TV ABC teve a ideia de selecionar alguns americanos para disputarem os game shows do Japão. Eis que a fusão deste dois universos distintos fez surgir o "I Survived a Japanese Game Show". Nele, americanos disputa um prêmio de 250 mil dólares no programa "Majide". O programa, na realidade, não existe na TV japonesa e foi criado especialmente para este reality, sendo uma mistura estereotipada de todos os game shows do país nipônico. O game é repleto de provas físicas e a melhor maneira de descrevê-las é comparando-as com as "Olimpíadas do Faustão" com personagens japoneses. Leia mais

Entretenimento