Topo

Geek

10 séries que, assim como "Big Bang Theory", também deveriam ser canceladas

Divulgação
Os personagens de "The Big Bang Theory" Imagem: Divulgação

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo

26/08/2018 04h00

Em 2019, após 12 anos no ar, "The Big Bang Theory" vai ser cancelada. É inegável que a série conquistou milhares de fãs em todo o mundo, mas seu fim também não pegou ninguém de surpresa.

O encerramento da série já era cogitado há duas temporadas e a história já estava dando voltas sem avançar por novos caminhos.

Mas não é só "The Big Bang Theory" que está nesta mesma situação. Há por aí uma dezena de programas que se fossem encerrados hoje só fariam bem para os fãs. Afinal, de que adianta manter no ar uma atração, se já não há mais história para ser contada?

A seguir, listamos dez séries que já passaram da hora de serem canceladas.

ALERTA DE SPOILER: Os textos a seguir revelam informações importantes sobre as tramas

Larguem o osso!

  • "The Walking Dead"

    A série está como seus zumbis: morta, porém caminhando. Andrew Lincoln, que interpreta Rick Grimes, o personagem principal de "The Walking Dead", já anunciou que não volta para uma futura (e ainda não confirmada) 10ª temporada. Além disso, ninguém aguenta mais ver seus personagens favoritos morrendo. A 8ª temporada foi bastante criticada pelos fãs por ter sido morna e não ter feito a história avançar. Muitos não gostaram do fim que o vilão Negan teve e pouca gente está com esperanças de que a 9ª temporada será melhor do que as outras.

  • "Supernatural"

    A série de fantasia "Supernatural", que já está em sua 13ª temporada, já passou da hora de ser cancelada. Ninguém aguenta mais ver os irmãos Sam e Dean Winchester viajando pelos Estados Unidos combatendo eventos sobrenaturais. A lista de criaturas místicas a serem encontradas pelos Winchestes em seu caminho parece não ter fim. Os irmãos já enfrentaram, por exemplo, a irmã de Deus e já lutaram contra Satan e Leviatã, já morreram, foram para o inferno, voltaram à vida. O que mais poderia acontecer? Vale lembrar que, recentemente, o canal CW anunciou que vai reduzir o número de episódios de 23 para 20 na 14ª temporada. Seria uma indicação de que a série está no fim?

  • "Os Simpsons"

    Um programa que bateu o recorde de ter sido a série animada mais extensa da TV já passou da hora de acabar. Tá certo que todos amam os Simpsons, e suas sátiras ácidas da sociedade americana são certeiras. Foram tantos episódios e tantos assuntos abordados, que muitos dizem que eles são capazes de "prever" o que vai acontecer no mundo. Até o momento, já foram exibidos 636 episódios do programa e, a julgar pelas entrevistas concedidas pelos produtores, não há nenhuma evidência de que eles vão parar por aí. O problema é que o humor que os Simpsons faziam há quase 30 anos já não cola mais. Basta lembrar da polêmica envolvendo o personagem Apu, que foi acusado de reforçar estereótipos negativos sobre indianos-americanos.

  • "Modern Family"

    A série está em sua 9ª temporada e os produtores planejam encerrá-la na 10ª, mas até agora nada oficial foi divulgado. Um dos co-criadores, Steve Levitan, disse em entrevista à revista "The Hollywood Reporter" que "deixar o público pedindo por mais é uma boa maneira de encerrar a série". O problema é que os fãs e os atores já não aguentam mais os problemas dessa família moderna. Mas, assim como na vida real, ninguém nunca resolve plenamente seus problemas familiares, então, vamos logo acabar com isso!

  • "Grey's Anatomy"

    A produtora Shonda Rhimes fez história na TV americana com "Grey's Anatomy". Lá se vão 14 temporadas deste drama ambientado em um hospital dos Estados Unidos. Ellen Pompeo, uma das atrizes principais, já avisou que renovou seu contrato para mais dois anos. Ou seja, podemos aguardar pelo menos mais duas temporadas. Há, no entanto, um problema. Shonda Rhimes já não está mais no comando e muitos acreditam que, sem ela, a série nunca mais será a mesma. Se acabasse agora, ninguém iria reclamar.

  • "Family Guy"

    A série de animação politicamente incorreta "Family Guy", criada por Seth MacFarlane, já está em sua 16ª temporada. Embora ainda esteja distante de atingir a longevidade de "Simpsons", a sensação é de que ela é tão velha quanto. Quando a série chegou à sua 10ª temporada, MacFarlane avisou que gostaria de encerrá-la. "Sete temporadas seriam o suficiente", ele disse na época. E, de fato, ela chegou a ser cancelada duas vezes, mas o apoio dos fãs fez a Fox reconsiderar e voltar atrás. Para MacFarlane, os cancelamentos prejudicaram o programa, já que os roteiristas originais foram demitidos e outros contratados no lugar. Desde então, as desavenças de seu criador com a Fox só pioraram impactando diretamente na qualidade do programa e na graça das piadas. Talvez seja melhor ouvir o seu criador, e encerrá-la de vez antes.

  • "Silicon Valley"

    "Silicon Valley", da HBO, ainda está em sua 5ª temporada, porém já começa a demonstrar sinais de desgastes. As trapalhadas da turma de programadores do Vale do Silício que buscam fundar a nova startup bilionária dos EUA parece já ter feito graça com quase todas as situações. A sensação dos fãs ao assistirem à última temporada foi de um completo déjà-vu só com piadas repetidas. Está difícil aguentar a falta de traquejo social de Richard e sua capacidade de jogar fora todas as oportunidades para se tornar milionário. Um dos atores principais, T.J. Miller, por exemplo, já está fora da série e em 2017 foi acusado de assédio sexual e agressão. Ele pode ser visto atualmente em "Deadpool 2" como Fuinha.

  • "13 Reasons Why"

    Este drama adolescente da Netflix foi renovado para a terceira temporada, mas muitos concordam que ele não deveria nem ter passado da primeira. Ninguém contesta a importância que a série teve ao abordar o suicídio na adolescência. O problema é que, para não perder o público que eles conquistaram, a Netflix produziu uma segunda temporada sem nenhum apelo, explorando as consequências do suicídio de Hanna e como ficou a vida de Jessica. Agora, com a história da protagonista definitivamente encerrada, não tem mesmo razões para a série seguir em frente.

  • "Orange is The New Black"

    A prisão de Piper Chapman na penitenciária de segurança mínima de Litchfield era para ter sido curta. Mas lá se vão seis temporadas em que ela ficou atrás das grades - e a Netflix já anunciou a sétima. Já descobrimos como a maioria das detentas foram presas e torcemos pelo romance entre Piper e Alex. Após as rebeliões e a destruição do presídio, elas foram transferidas para a segurança máxima, e todos os problemas que vimos surgir na primeira temporada parecem ter voltado. Mas Piper finalmente recuperou sua liberdade, e a série parece estar se encaminhando naturalmente para o seu fim.

  • "Vikings"

    Desde o início, os fãs de "Vikings" pensavam que a série contaria a história de seu personagem principal: Ragnar Lothbrok. Todos ficaram chocados, no entanto, quando Ragnar foi morto. Mas, como os produtores disseram em uma entrevista, o nome da série é "Vikings" e não "Ragnar". A segunda parte da 5ª temporada, que estreia em novembro de 2018, vai mostrar a guerra entre os irmãos Bjorn e Ivar, além da invasão da Inglaterra pelo Grande Exército Pagão. Mas o sentimento dos fãs é de que a série está ficando repetitiva, deixando de lado a história dos vikings para focar nos ingleses. Talvez, este problema seja resolvido na 6ª temporada, confirmada para 2019, que mostrará a invasão nórdica na Rússia.