Topo

Geek

7 coisas que você precisa saber antes de ver "O Despertar da Força" na Tela Quente

Reprodução
Cena de "Star Wars: O Despertar da Força" (2015), de J.J. Abrams Imagem: Reprodução

Leonardo Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

17/12/2018 04h00

Lá se vão mais de 30 longos anos desde que a Globo exibiu pela última vez um filme da saga "Star Wars" em sua faixa mais nobre, a Tela Quente. A sessão entrou na grade da emissora no dia 7 de março de 1988 justamente com a exibição de "O Retorno de Jedi" (1983).

Nesta segunda-feira (17), o horário retomará suas origens exibindo "Star Wars: Episódio 7 - O Despertar da Força" (2015), longa que marcou em grande estilo o retorno da franquia e arrecadou mundialmente absurdos US$ 2 bilhões, terceira maior bilheteria da história do cinema.

Mas se você caiu de paraquedas e não é exatamente um fã do universo criado pelo cineasta George Lucas, algumas pré-informações são imperativas para se familiarizar com o filme, um dos mais elogiados pela crítica em toda a franquia.

Que filme é esse?

"Star Wars: Episódio 7 - O Despertar da Força" é sétimo filme da saga principal de "Star Wars", o primeiro da terceira trilogia da série. Todas elas se passam "há muito tempo, numa galáxia muito, muito distante".

Como funcionam essas trilogias?

A primeira trilogia da saga "Star Wars" saiu entre 1977 e 1983, com os filmes "Star Wars: Episódio 4 - Uma Nova Esperança", "Star Wars: Episódio 5 - O Império Contra-Ataca" e "Star Wars: Episódio 6 - O Retorno de Jedi". A numeração foi adicionada posteriormente, assim como o título do primeiro longa, batizado inicialmente apenas de "Star Wars" (ou "Guerra Nas Estrelas", como era conhecido no Brasil).

Já a segunda trilogia chegou aos cinemas entre 1999 e 2005, com "Episódio 1 - A Ameaça Fantasma", "Episódio 2 - Ataque dos Clones" e "Episódio 3 - A Vingança dos Sith". O que costuma gerar confusão: embora os efeitos visuais mais tecnológicos tragam um ar mais moderno aos três filmes citados, os acontecimentos deles se passam antes dos mostrados nos primeiros.

Quem são os personagens "O Despertar da Força"?

A protagonista é Rey (Daisy Ridley), uma jovem catadora de lixo que começa a descobrir os mistérios da Força, poder metafísico que municia os guerreiros Jedi. Seus parceiros são o piloto Poe Dameron (Oscar Isaac) e o ex-guerreiro do Império Finn (John Boyega). O novo vilão-mor é Kylo Ren (Adam Driver), neto do icônico Darth Vader.

Mas e o Darth Vader? Ele aparece?

Não. Ele está morto. E isso não é spoiler. Um dos vilões mais carismáticos da cultura pop, morreu no fim de "O Retorno de Jedi" (1983), derrotado pelo protagonista Luke Skywalker (Mark Hamill), que descobrimos ser seu filho, assim como a Princesa Leia (Carrie Fisher).

E os outros personagens clássicos?

Com papel mais ou menos relevante, os robôs R2-D2 (Jimmy Vee) e C-3PO (Anthony Daniels), o wookie Chewbacca (Peter Mayhew) e os amados Han Solo (Harrison Ford), Princesa Leia e Luke Skywalker estão de volta no filme.

Como é a história?

Resumindo: cerca de 30 anos após a destruição da segunda Estrela da Morte --uma unidade militar em forma de planeta--  em "O Retorno de Jedi", a Aliança Rebelde conseguiu restaurar a República Galáctica. O problema é que remanescentes do Império Galáctico se reorganizaram como a Primeira Ordem, cujo crescimento é combatido pela nova Resistência da República.

O que esse filme tem a ver com aquele último "Han Solo"?

Cronologicamente, "Han Solo: Uma História Star Wars" (2018)", que conta a origem do personagem, é situado décadas antes de "Despertar da Força". Tanto "Han Solo" quanto "Rogue One: Uma História Star Wars" (2016), sobre um grupo de pilotos rebeldes, são spin-offs, longas derivados que trazem histórias paralelas do universo "Star Wars". Ambos se passam entre "A Vingança dos Sith" e "Uma Nova Esperança". Importante: caso você queira saber o que acontece com Ray depois de "O Despertar da Força", assista a "Os Últimos Jedi" (2017).