PUBLICIDADE
Topo

Santo Aniversário! Duas versões bem diferentes do Batman assopram as velas!

Roberto Sadovski

Roberto Sadovski é jornalista e crítico de cinema. Por mais de uma década, comandou a revista sobre cinema "SET". Colaborou com a revista inglesa "Empire", além das nacionais "Playboy", "GQ", "Monet", "VIP", "BillBoard", "Lola" e "Contigo". Também dirigiu a redação da revista "Sexy" e escreveu o eBook "Cem Filmes Para Ver e Rever... Sempre".

Colunista do UOL

11/06/2020 05h26

Criado por Bob Kane e Bill Finger em 1939, o Batman já experimentou dúzias de interpretações diferentes em mais de oito décadas de existência. Apesar de suas origens nas histórias em quadrinhos, o personagem disparou como um dos super-heróis mais populares do mundo primeiro nos anos 60, com a série de TV mergulhada na pop art, depois com a fantasia gótica filmada por Tim Burton para os cinemas em 1989.

O "estado natural" do personagem é, portanto, a constante reinvenção. Se nos quadrinhos esse ciclo existe para manter o herói sempre relevante, no cinema as mudanças obedecem não só o zeitgeist como também a visão artística de cada diretor. Em sua carreira gloriosa nos cinemas, o Homem-Morcego já foi reinterpretado como um vingador pop, um guerreiro urbano e um soldado que sente o peso das batalhas. Ano que vem, ganharemos a novíssima versão com Robert Pattinson assumindo o manto do herói.

Duas de suas versões mais bem-sucedidas celebram estes recomeços. "Batman Eternamente", de Joel Schumacher, completa 25 anos em 16 de junho, um filme renegado pelos fãs mas abraçado pela plateia à época. Já "Batman Begins" comemora em 15 de junho os 15 anos da visão realista de Christopher Nolan - essa sim abraçada por apaixonados pelo Cavaleiro das Trevas como "a mais fiel" fora dos quadrinhos. É sobre estes dois filmes que eu falo no vídeo da semana!

Roberto Sadovski