PUBLICIDADE
Topo

'Filhote' de Hulk com Wolverine é a melhor novidade da Marvel em anos

Hulk e Wolverine deram cria na Marvel - Reprodução/Marvel
Hulk e Wolverine deram cria na Marvel Imagem: Reprodução/Marvel
Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

Colunista do UOL

01/06/2020 02h05

Imagine só um super-herói que é simplesmente uma mistura da força descomunal do Incrível Hulk com aquelas garras de adamantium do Wolverine. Parece o delírio de um moleque de 13 anos, mas é realmente um personagem que existe na cronologia da Marvel.

Estou falando de Arma H, a alcunha mais famosa de Clayton Cortez. Criado pelo roteirista Greg Pak e o desenhista brasileiro Mike Deodato Jr, surgiu em 2017 durante uma saga envolvendo a Arma X, instituição responsável pela transformação de Logan em Wolverine, e o Hulk.

Cortez era um ex-militar que trabalhava como mercenário que acabou topando servir de cobaia em um projeto científico misterioso. Papo vem, papo vai, ele ganhou os poderes do gigante esmeralda e as garras do carcaju dos X-Men.

Mais do que nunca, o glorioso Arma H - Reprodução/Marvel - Reprodução/Marvel
Mais do que nunca, o glorioso Arma H
Imagem: Reprodução/Marvel

A narrativa remete a tempos mais simples da indústria dos quadrinhos norte-americanos, quando os gibis realmente pareciam gibis. O texto de Pak muitas vezes é esquemático e pueril, mas isso não é necessariamente ruim. Chega a ser um respiro no meio de tanto roteirista que estrutura as revistas modernas como se fossem séries da Netflix.

Outro detalhe interessante é a postura ativa que Sonia, a senhora Arma H, assume nas histórias. Ela não é a típica donzela em perigo, muito pelo contrário. Mais inteligente que o marido, é comum vê-la salvando o dia.

Além da série solo do Arma H, que durou 12 edições e foi lançada por aqui em 2 volumes, o grandalhão também protagonizou uma minissérie ao lado dos personagens que lhe deram origem. Hulkverines! está disponível atualmente no Brasil e é diversão do começo ao fim.

Trama absurda, personagens legais e alguns conceitos muito pitorescos —como a base secreta marítima em que Cortez esconde a esposa, os filhos e a sogra. É exatamente o tipo de entretenimento que estamos procurando.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL