Topo

Coluna

Chico Barney


Deadpool mata pais de criança em homenagem sinistra ao Batman

Deadpool deixou Batman órfão? - Reprodução/We Got This Covered
Deadpool deixou Batman órfão? Imagem: Reprodução/We Got This Covered
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

15/11/2019 18h20

Almanacão #0001. Bem-vindo, caro leitor, ao mais novo espaço para discutir histórias em quadrinhos. Esta coluna tem a pretensão de se tornar a maior e mais relevante fonte de reflexões sobre a nona arte. Vejo que boa parte do conteúdo produzido na internet brasileira é dedicada a repercutir novidades, boatos ou polêmicas, mas raramente com análises a respeito do conteúdo dos gibis. Lançamentos e clássicos, mainstream e underground, nacionais e importadas, coisas boas e DC: tudo há de ser debatido por aqui.

***

Deadpool transforma Batman em vilão

Reprodução/Panini
Imagem: Reprodução/Panini

A mais recente série do "mercenário tagarela" tratou de apresentar um novo integrante para sua galeria de vilões: o truculento Boa Noite. A origem secreta do personagem não chega a ser inovadora. Quando criança, saindo do cinema, viu seus pais serem assassinados pelo Deadpool.

Praticamente um "O que aconteceria se... Wade Wilson tivesse matado os pais do Batman em vez de Joe Chill". Tudo acontece no início da fase escrita por Skottie Young, talentoso desenhista que também é um ótimo roteirista. Na primeira edição da revista, a cena é mostrada como uma piada. Mas ao longo dos meses seguintes, descobrimos a identidade de um misterioso cidadão que estava arruinando as missões do protagonista: justamente o órfão vingativo.

A edição de outubro é uma espécie de Boa Noite Begins. Mostra como o rapaz foi abordado por um misterioso interlocutor após o assassinato e passou os anos seguintes treinando na cadeia e em diversos outros cenários do Universo Marvel.

Diversão para a família inteira —quer dizer, menos para os pais do vilão.

Deadpool #08 (Panini Comics) está nas bancas.
Cotação: 4/5

***

Irritando Alan Moore

Reprodução/Panini
Imagem: Reprodução/Panini

A série da HBO não é a única maneira que a Warner encontrou para usar Watchmen como vara curta no intuito de cutucar Alan Moore. O Rouxinol de Northampton deve estar fulo da vida com O Relógio do Juízo Final.

O gibi mostra como seria a vida de Batman, Superman e grande elenco caso os personagens de Watchmen invadissem seu universo. Por mais constrangedor que possa parecer, e realmente é, a história até que funciona. O roteirista Geoff Johns é respeitoso e apaixonado, apesar de incluir novidades sem muita cerimônia. A arte de Gary Frank é coisa para enquadrar e pendurar na sala.

Na edição mais recente, acompanhamos o Comediante em uma adorável enrascada com o Coringa e outros vilões da DC. Poderia ser ofensivo, mas é apenas tosco. Indício de que vem coisa boa por aí.

O Relógio do Juízo Final #6 (Panini Comics) está nas bancas.
Cotação: 3/5

***

Dragões e homens das cavernas

Reprodução/Panini
Imagem: Reprodução/Panini

O roteirista Jason Aaron está fazendo miséria em sua passagem pelo gibi dos Vingadores. Constrói as histórias como se fossem episódios de um desenho animado dos anos 90 —e eu juro que isso é um elogio. A diversão sem limites parece ser o único compromisso do autor. Se veio buscando alguma verossimilhança, lamento informar que está no lugar errado.

Entre inúmeros conceitos sem pé nem cabeça propostos na série, Aaron inventou uma equipe de heróis surgida há um milhão de anos. Tem o pai do Thor, a Fênix, um Pantera Negra, um Motoqueiro Fantasma que pilota um mamute em vez de uma motoca... São Muitas emoções.

Na melhor história da edição mais recente, conhecemos a origem secreta da primeiro Punho de Ferro da história. Enquanto a humanidade ainda vivia em cavernas, a mística cidade de Kun Lun já era sofisticadíssima. E a lutadora Fan Fei foi castigada por ensinar kung fu aos selvagens. Mas em vez de ser devorada pelo poderoso dragão protetor daquela comunidade, a jovem trucidou o bicho e ganhou superpoderes.

É muito bom, e ainda se conecta de maneira bastante fluida ao melhor run do personagem, conduzido por Ed Brubaker, Matt Fraction e David Aja em 2006.

Os Vingadores #8 (Panini Comics) está nas bancas.
Cotação: 5/5

***

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Chico Barney