Topo

Coluna

Chico Barney

Cinco motivos para a candidata do Rio de Janeiro vencer o Miss Brasil

Reprodução/Instagram
Amanda Coelho, Miss Rio de Janeiro Imagem: Reprodução/Instagram
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

26/05/2018 15h21

Chegou o dia do Miss Brasil, um dos campeonatos mais importantes do calendário nacional. Mulheres fascinantes e engajadas na evolução da sociedade desfilarão esta noite de olho em uma vaga no Miss Universo. Existe uma favorita. Amanda Coelho venceu o Miss Rio de Janeiro pelo município de Angra dos Reis e agora entra em campo com a responsabilidade de representar o estado.

Na qualidade de missólogo amador, elaborei algumas razões para crer na vitória da candidata.

1. Vereadora dos índios aos 15 anos

“Tenho uma ligação com uma aldeia indígena. O meu primeiro contato com a aldeia foi quando participei do parlamento juvenil lá em Angra. Fui presidente do parlamento, é como se eu fosse vereadora por alguns meses. Eu tinha 15 anos”, revelou a morena em depoimento ao site do concurso.

Embora muitos acreditem que ela tem traços indígenas, a verdade é que não passa de uma coincidência. “Todo mundo acha que tenho ascendência indígena. Não tenho, mas me identifico muito com eles e quero dar maior visibilidade a estas causas”, disse ao Jornal Extra em abril deste ano.

2. Ajuda humanitária

Estender a mão ao próximo é algo que a Miss persegue com raro vigor. “Eu já faço parte de uma ONG há seis anos. É ajuda humanitária, a gente faz visita ao asilo, arrecadação de brinquedos...”

Importante notar que a causa indígena também surge como uma necessária obsessão em tempos tão bicudos. “E eu quero daqui a um tempo abrir uma ONG voltada só para os indígenas!”, promete a musa de todas as aldeias.

3. Similaridade com a Miss Venezuela

Pode faltar quase tudo na Venezuela, mas jamais uma candidata forte ao Miss Universo. O país é reconhecido como uma fábrica de campeãs. E sthefany Gutiérrez, eleita no país de forma bem menos controversa do que Nicolás Maduro, deu a sorte de ainda ser parecida com Amanda Coelho. A briga vai ser boa na grande final.

4. Crise no futebol

Desde o longínquo ano de 2012 que o futebol não dá uma alegria ao povo carioca em âmbito nacional. Para equilibrar a justiça cármica, me parece fundamental premiar a Miss Rio de Janeiro no intuito de inspirar e moralizar os times do estado. Como curiosidade, a última carioca a vencer o Miss Brasil foi Maria Carolina Portella em 1992 - mas estava representando o meu querido Paraná.

5. Intervenção militar

Chega de lembrar do Rio apenas por motivos tristes como a violência, o crime, a política e a desastrada intervenção militar. Um lugar tão adorável certamente merece ser celebrado pelo carisma de seus cidadãos. Amanda Coelho não parece sequer ter intervenções cirúrgicas, mas não que isso faça qualquer diferença.

Maria Eugênia Suconic, a Mareu do Adotada MTV, e Cássio Reis comandam os trabalhos a partir das 22h30 na Band. Finalmente alguma coisa importante acontecendo neste país.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!