Topo

Coluna

Chico Barney

Pior que o preço da gasolina, só a volta do Só No Sapatinho

Reprodução
Cena do novo clipe do Só no Sapatinho Imagem: Reprodução
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

23/05/2018 20h15

Não se fala em outra coisa nos grupos de Whatsapp, padarias e bancas de jornal: o preço da gasolina e a greve dos caminhoneiros têm tudo para promover impactante convulsão social. Estamos todos bastante preocupados, pois chegamos ao fim da segunda década do século 21 e os combustíveis fósseis ainda consistem em importante engrenagem para a vida moderna.

Outra coisa que surpreende por ter chegado tão longe no curso da história é o conjunto musical Só No Sapatinho. Liderado por um filho do Zico que não conseguiu lograr sucesso no futebol, os pagodeiros passaram excelentes anos no ostracismo, mas acharam por bem retornar às vésperas da Copa do Mundo da Rússia.

“Voltei Amor” é o nome do single em forma de ameaça que retoma a carreira do grupo. Modorrento e repetitivo, parece reedição piorada de diversas músicas que por sorte não ouvíamos desde os anos 1990. Como cereja no bolo, uma infame citação ao hit original da banda.

Alinhado ao discurso do Governo Temer, que garante ter retrocedido 20 anos em 2, o clipe também chegou bem fornido com os clichês mais tristes do fim do século passado. Além dos integrantes do Só No Sapatinho, uma série de galãs da Globo jogam sinuca e tomam cerveja com ex-CQCs, David Brazil e até mesmo os Irmãos Netto.

A presença de youtubers tão populares ainda não surtiu efeito, para o bem da nação. A produção ainda não passou dos 5.000 views e daqui a pouco será ultrapassada até pelo preço da gasolina. “Voltei Amor” tem tudo para ser mais uma nota de rodapé na carreira dos "one-hit wonders" cariocas. Por mim, tudo bem.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!