Topo

Coluna

Chico Barney

Será que Gugu é rico demais para apresentar reality show?

Instagram/Reprodução
Gugu é apresentador desta temporada do "Power Couple" Imagem: Instagram/Reprodução
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

02/05/2018 12h21

"Power Couple Brasil" retornou para outra temporada e continua um tesouro escondido da TV aberta. Merecia um sucesso muito maior. Para quem ainda não foi agraciado pela descoberta, explico do que se trata. Onze casais de celebridades, cujas estirpes variam entre ex-participantes de outros reality shows e figuras de impacto periférico na cultura popular, reúnem-se em confinamento sob os cuidados da Record.

A mistura de jogo de convivência com gincana apresenta disputas onde maridos precisam apostar dinheiro nas esposas depois de serem informados sobre o teor do desafio - e vice-versa. Eventuais disparidades entre o valor colocado em jogo e as pretensões dos cônjuges costumam render momentos de constrangimento e diversão para o público telespectador.

O programa trouxe três novidades em sua nova edição:

Agora é exibido de segunda a sexta

A iniciativa teoricamente garantiria uma imersão maior para um reality que antes era exibido apenas duas vezes por semana. Sem transmissão 24 horas, apesar de ser produzida no mesmo espaço que "A Fazenda", o "Power Couple" não chegou a convidar o público para fazer parte da bagunça. Os fãs continuam dependentes da cronologia heterodoxa dos editores para acompanhar o que acontece na casa.

Como um exemplo prático, logo depois de termos descoberto ao vivo os 2 casais que disputariam a preferência do público, fomos apresentados a um VT em que os participantes ainda sofriam para saber quem seriam os escolhidos. Minutos valiosos na vida do telespectador que não serviram para criar suspense nem nada parecido com entretenimento.

Abriu a votação semanal para o público

A chegada da democracia direta ao "Power Couple Brasil" está sendo vista com desconfiança por alguns setores da sociedade. É sempre assim. Mas talvez aqui tenha alguma razão de ser. Por trazer no elenco alguns populares ex-participantes de reality shows que se tornaram grandes magnatas das redes sociais, a balança está desequilibrada.

Reprodução/Record
A campeã do "BBB16" Munik Nunes e o empresário Anderson Felício, seu marido Imagem: Reprodução/Record

O exemplo mais luminoso é Munik Nunes Barbosa, egressa com a faixa de campeã do BBB 16 e atualmente proprietária de um dos mais influentes perfis no Instagram. Não é por acaso que ela e o marido golearam o casal Chulapa na noite de ontem, com um retumbante percentual de vantagem.

Da minha parte, confesso que prefiro esse modelo com maior envolvimento do povo brasileiro.

Apresentação de Gugu Liberato

O grande vulto das brincadeiras entre homens e mulheres na televisão é um reforço e tanto. A chegada de Gugu no ramo dos reality shows é uma das melhores notícias para o gênero em anos.

Mas depois de uma semana de exibição, ainda preocupa a falta de envolvimento do apresentador com o programa. Assim como Justus ou Brito Jr em atrações semelhantes na Record, Gugu parece estar lá apenas para ler o que lhe pedem.

Francisco Cepeda/AgNews
Gugu fez estreia como apresentador de reality show Imagem: Francisco Cepeda/AgNews

Talvez fosse a performance possível para seus antecessores, mas é muito pouco para um profissional com o repertório de Augusto Liberato. Lógico que ele interpreta o TP com muito mais emoção e carisma do que estávamos acostumados, mas seria importante que conseguisse imprimir mais do seu estilo à narrativa do programa.

Foi esse ingrediente que animou a audiência quando seu nome foi anunciado. Queremos o verdadeiro Gugu, aquele que foi atrás da tumba de Dercy Gonçalves, o crooner da prova da banheira, o cupido de Gretchen com Van Damme.

Tenho uma teoria de que Gugu, assim como Justus, é rico demais para apresentar um reality show, que é algo que demanda um envolvimento que pessoas nesse pavimento da pirâmide social já não tem muita disposição.

Esse trecho de uma reportagem do UOL sobre o lançamento da temporada ilustra bem a situação:

“Gugu disse ter relutado no início --não por preconceito, garante--, mas pela restrição nas visitas à família que vive atualmente nos Estados Unidos. "Eles [a direção do programa] criaram uma forma para que eu possa ir para lá toda quinta à noite e voltar no domingo. Vai ficar mais apertado, mas eu não abri mão disso", contou.”

Os dois apresentadores mais bem-sucedidos de reality shows do país, Pedro Bial e Tiago Leifert, sempre estiveram terrivelmente envolvidos no cotidiano do BBB - algo difícil de administrar quando o cidadão passa a maior parte da semana em Miami.

Mas sou um otimista. Se o icônico comunicador estiver minimamente interessado, poderá marcar época e refundar a própria carreira.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!