PUBLICIDADE
Topo

Punk vs. punk: Vocal do Toy Dolls responde Inocentes, Mercenárias e a Plebe

Após oito anos, trio punk Toy Dolls volta ao Brasil para três shows - Divulgação
Após oito anos, trio punk Toy Dolls volta ao Brasil para três shows Imagem: Divulgação
Adriana de Barros

Colunista de Música do UOL, onde atuou 20 anos na área de Entretenimento, com coordenação de coberturas em grandes festivais e do Carnaval. É curadora do edital 2020 Natura Musical e integrou o Superjúri 2019 do Prêmio Multishow. Eleita uma das cinco melhores jornalistas musicais do Brasil pelo WME Awards by Music2. Apresentadora do podcast Fala Zé na rádio Energia 97 ao lado de Zé Antônio Constantino e Hélio Cosmo Leite.

08/08/2018 07h00

A lendária banda punk Toy Dolls desembarca no Brasil neste fim de semana para três shows. A primeira cidade a receber os britânicos, com ingressos esgotados, será Curitiba (Hermes Bar), nesta sexta (10). No dia seguinte, o trio toca em Goiânia (Martim Cererê) e no domingo em São Paulo (Carioca Club).

O show da capital paulista foi marcado no Fabrique Club, mas, devido à grande procura, a apresentação precisou ser transferida para o Carioca, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo.

Até o momento da publicação deste texto, só havia ingressos para camarote. Os valores variam entre R$ 200 (1º lote, meia) e R$ 400 (inteira).

Na primeira vez que esteve no Brasil, em 1988, o grupo fez quatro datas no extinto Projeto SP, na capital paulistana. Na ocasião, o vocalista Olga levou um soco na cara, que de acordo com os presentes foi dado por um skinhead. Na entrevista, ele relembra o episódio e fatos que marcaram os anos de estrada da banda.

As perguntas foram elaboradas por líderes de três bandas punks brasileiras, convidados pela coluna: Sandra Coutinho (Mercenárias), Philippe Seabra (Plebe Rude) e Clemente (Inocentes).

Sandra Coutinho das Mercenárias - Reprodução Facebook - Reprodução Facebook
Sandra Coutinho, vocalista da Mercenárias
Imagem: Reprodução Facebook
Quais foram os desafios que a banda enfrentou para sobreviver durante essas décadas? Como é a relação de vocês com o mercado e gravadoras?
Olga: Ah, pergunta interessante! Foram muitos. Nos primeiros três ou quatro anos não tínhamos hotéis. Viajávamos e dormíamos no carro. Na estrada, a gente comia restos de comida. Mas temos uma extensa lista de bandas que nos ajudaram. E, para ser honesto, adorei a cada minuto.

Quanto ao mercado, estamos fora disso. Nunca estivemos na moda ou no mercado fonográfico tradicional, o que contribui para a nossa longevidade de muitas maneiras. Estamos perto o suficiente da imprensa britânica. Temos um relacionamento muito bom dentro do gênero, no sentido de que gravamos e lançamos exatamente o que gostamos. Produzimos álbuns como queremos, sem pressão.
Philippe Seabra da Plebe Rude - Claudia Okuno - Claudia Okuno
Philippe Seabra, vocalista da Plebe Rude
Imagem: Claudia Okuno
Quando é que vocês se tocaram da abrangência do punk fora da Europa? Mesmo antes da internet, já havia muitas pessoas sintonizadas no estilo.
Olga: Após o lançamento do nosso álbum "Dig That Groove Baby", de 1983, começamos a receber muitas cartas (não e-mails) vindas do mundo todo. Foi uma surpresa para nós. Foi ótimo saber que tínhamos fãs fora do Reino Unido e da Europa.


Clemente do Inocentes - Reprodução Facebook - Reprodução Facebook
Clemente, vocalista do Inocentes
Imagem: Reprodução Facebook
 Você faz ideia do motivo de, mesmo fazendo música com temas tão alegres e divertidos, vocês terem um público tão violento no Brasil? Conseguiu superar o soco que levou no palco?
Olga: Sim. Eu superei completamente aquele incidente, mas não esqueci, é claro! A verdade é que nós não vemos violência nos shows há mais de 30 anos. Hoje há uma mistura de antigos e novos fãs, roqueiros, punks etc. Todos festejando juntos.


Serviço
Toy  Dolls no Brasil
Curitiba
Quando: 10 de agosto - sexta-feira, a partir das 21h
Onde: Hermes Bar - Rua Engenheiros Rebouças, 1645 – Rebouças
Inf: https://pixelticket.com.br

Goiânia
Quando: 11 de agosto - sábado, a partir das 20h
Onde: Centro Cultural Martim Cererê - Rua 94-A, Setor Sul
Inf: https://meubilhete.com

São Paulo
Quando: 12 de agosto - domingo, a partir das 18h
Onde: Carioca Club Pinheiros - Rua Cardeal Arcoverde, 2899 - Pinheiros
Inf: www.clubedoingresso.com

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL