Topo

Coluna

Adriana de Barros

"Progresso do rap me lembra o congresso. Pouco preto", diz Slim em single

Divulgação
Capa do single "Arte do Gueto" Imagem: Divulgação
Adriana de Barros

Adriana trabalha no UOL desde 2000, passou pelas rádios Mix FM, 97Rock e pela gravadora Sony Music.

17/11/2017 12h55

Nesta sexta-feira (17), o rapper e produtor Slim Rimografia lança a “Arte do Gueto” (ouça aqui). A faixa é  o terceiro single do projeto #SinGo, uma ação musical que já integra as músicas “Primeira do Dia” e Burla”.

Com trechos como “O progresso do rap me lembra o congresso. Pouco preto!”, a música chega no mês da Consciência Negra como uma reflexão sobre o atual cenário do rap.

“Quando comecei não tínhamos uma visão de ganhar dinheiro, fazíamos por amor e diversão. Hoje, o cenário mudou, o gênero é um dos mais tocados no mundo, é uma música de preto e a grande maioria não consegue sobreviver desta arte. A música é uma reflexão sobre apropriação nas artes em geral, o gueto produz, mas o ‘din din’ não volta pro gueto”, explica o rapper, que participou do "BBB14".

Em “Arte do Gueto”, Slim cria uma conexão entre o novo e o velho. Ele fez uso de quatro vozes diferentes e uma delas remete ao primeiro disco do artista, “Financeiramente Pobre”.
 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!