Na Flip 2012, Drummond ganha homenagem com debates, declamações e estátua viva

Amanda Serra
Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    O poeta Carlos Drummond de Andrade

    O poeta Carlos Drummond de Andrade

Homenageado da Festa Literária Internacional de Paraty 2012, Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) será tema de três debates e uma exposição durante o evento, que se realiza entre esta quarta (4) e o dia 8 de julho, no litoral do Rio de Janeiro. Haverá ainda uma série de (re)lançamentos de livros do poeta mineiro, antologias póstumas e estudos sobre a atualidade de sua obra. E até uma "estátua viva" que imita a clássica escultura em sua homenagem no Rio de Janeiro distribuindo autógrafos pela cidade. 

"É um autor que já merecia uma homenagem e consideramos esse momento propício, já que comemoramos uma década de Flip", diz Flávio Moura, curador da festa entre 2008 e 2010 e responsável pela homenagem desta edição, em entrevista ao UOL. "O Drummond é um dos maiores poetas do século 20. Ele não é importante apenas para o país, mas para o mundo."

Zé Wilker, Zé de Abreu e outros "Josés" recitam Drummond

Os poemas de Drummond serão recitados antes do início de todas as mesas do evento. Ele também será lembrado em atrações nas escolas públicas locais e na exposição "Faces de Drummond — O poeta e seu avesso", na Casa de Cultura de Paraty. "A cidade toda fica envolvida", afirma Moura. "A homenagem tenta ser plural, debater os pontos críticos da obra e mostrar as contradições da carreira do escritor."

Divulgação
Quando nasci, um anjo torto desses que vivem na sombra disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida

 

Em outubro, Drummond completaria 110 anos. Mas para o poeta, crítico e professor de Literatura Brasileira da Universidade de São Paulo (USP) Alcides Villaça, a efeméride pouco importa. "Cento e dez anos não quer dizer nada diante do legado gigantesco de Drummond", diz Villaça, que fará parte de uma das mesas sobre o poeta. "Sua importância como poeta já ultrapassou os limites nacionais, universalizando-se e consagrando sua poesia como uma das mais expressivas e representativas."

Alcides conta que Drummond era capaz de abrigar diversas facetas. Assim, ele exorcizava a solidão diante dos excessos do mundo e sua desconfiança profunda pelo moderno. "As faces se misturam, compõem uma personalidade complexa e miram-se para um espelho de altas exigências", analisa o crítico. "Esse espelho serve para todos."

Divulgação
E agora, José? A festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, a noite esfriou, e agora, José? e agora, você? você que é sem nome, que zomba dos outros, você que faz versos, que ama, protesta? e agora, José?

Fase social do poeta

Inspirada pelo Brasil da década de 50, que buscava o progresso, pelas consequências da Segunda Guerra Mundial (1939 - 1945) e pela ditadura militar brasileira (1964-1985), a poesia do escritor de Itabira (MG) oscila entre a roça e o elevador, entre o mítico e o cotidiano, entre o clássico e a experimentação. "A relativização dos valores e dos dogmas, temas principais de quem considera a modernidade, é uma força da obra de Drummond", explica o professor Alcides. "Ele não parecia alimentar qualquer ilusão quanto à evolução humana".

Reservado e desinteressado pela fama, o funcionário público preferia se comunicar com os amigos por carta, como fez durante anos com o escritor paulistano Mário de Andrade. "Ele parecia gostar de gente como gostava do mundo, de preferência mediado por palavras", justifica Alcides. "Exceção feita às moças bonitas, claro."

Casado com Dolores Dutra de Morais por mais de 60 anos, até sua morte em 1987, Drummond manteve um caso com Lygia Fernandes, sua amante por 36 anos. O romance era conhecido por todos, mas nunca foi assumido pelo poeta.

Para saber mais sobre a obra drummondiana e conhecer as diversas relações que o poeta tinha com o mundo e com a vida, como a timidez, desconfiança, análise crítica, esperança, a morte entre outras, as editoras Companhia das Letras e Cosac Naify separaram alguns lançamentos.

Obra: Editora Preço:
Antologia Poética Companhia das Letras R$ 42,00
Claro Enigma Companhia das Letras R$ 29,00
Contos de Contos de Aprendiz Companhia das Letras R$ 29,00
As impurezas do Branco Companhia das Letras R$ 35,00
Fala Amendoeira Companhia das Letras R$ 34,00
José Companhia das Letras R$ 29,00
Menino Drummond Companhia das Letras R$ 36,00
A Rosa do Povo Companhia das Letras R$ 34,00
Sentimento do Mundo Companhia das Letras R$ 29,00
Os 25 Poemas da Triste Alegria Cosac Naify R$ 79,90

Drummond na Flip:

Quarta-feira (4/7) - "Drummond 110" Conferência de abertura com Antonio Cicero e Silviano Santiago - abertura - 19h

Sexta-feira (6/7) - "Drummond, o poeta moderno" com Alcides Villaça e Antonio Carlos Secchin - mesa 5 - 10h

Domingo (8/7) - "Drummond, o poeta presente com Armando Freitas Filho (vídeo), Carlito Azevedo e Eucanaã Ferraz - mesa 17 - 14h30

De 4 a 8 de julho

Exposição: "Faces de Drummond — O poeta e seu avesso", na Casa de Cultura de Paraty (RJ).

Últimas de Entretenimento



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos