Ministra de Cultura francesa acha "triste" atitude de Depardieu

  • Caroline Larson/AFP

    O francês Gerard Depardieu mostra seu novo passaporte com a nacionalidade russa no aeroporto de Mordóvia, a 640 km de Moscou

    O francês Gerard Depardieu mostra seu novo passaporte com a nacionalidade russa no aeroporto de Mordóvia, a 640 km de Moscou

Paris, 7 jan - A ministra de Cultura francesa, Aurélie Filippetti, considerou hoje "triste" a atitude do ator Gérard Depardieu, que quer renunciar à nacionalidade francesa por causa de uma polêmica sobre o aumento dos impostos e a quem lhe foi concedida a russa.

"Os grandes artistas não são sempre exemplares em seu comportamento, mas é preciso julgá-lo por suas obras", declarou Aurélie, em entrevista à emissora de rádio "Europe 1", em referência ao caso de Depardieu, do que em qualquer caso ressaltou que "é uma grande personalidade que marcou a história do cinema francês", mas também caracterizada por "seus excessos".

Ela reiterou que o ator faz parte do "patrimônio cinematográfico" francês, embora sobre sua aparição junto ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, que lhe concedeu a nacionalidade russa, e sua vestimenta com um traje tradicional da região russa da Mordóvia, assinalou: "As imagens falam por si mesmas".

"Essas imagens são tristes", disse a titular francesa de Cultura, que perante a hipótese de que a Mordóvia nomeie Depardieu ministro da Cultura, respondeu que "todo mundo está farto desta novela (...), os franceses estão fartos, querem que se fale de seus problemas".

A origem da polêmica é a política fiscal do Governo francês de esquerda de aumentar a pressão fiscal sobre os cidadãos que ganham mais de um milhão de euros por ano, para aplicar uma taxa de até 75%.

O ator transferiu no final de ano sua residência fiscal para um pequeno povoado belga perto da fronteira francesa para evitar os impostos de seu país de origem.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos