Fundador do Megaupload pede liberação dos bens para viajar aos EUA

WELLINGTON, 11 Jul 2012 (AFP) -O fundador do Megaupload.com propôs nesta quarta-feira viajar voluntariamente da Nova Zelândia aos Estados Unidos, que desejam sua extradição, com uma condição: a liberação de seus bens para poder preparar sua defesa.

Kim Schmitz, conhecido como "Kim Dotcom", um alemão de 38 anos, em liberdade vigiada em seu país de adoção, é acusado pela justiça americana de fraude e violações dos direitos autorais.

O milionário - que não tem acesso a grande parte de sua fortuna desde a detenção - fez a proposta no Twitter, que utiliza regularmente para emitir opiniões ou queixas.

A audiência de extradição de Schmitz e três colegas, também indiciados, prevista inicialmente para agosto, foi adiada para março de 2013.

O FBI e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos consideram que o site Megaupload faturou 175 milhões de dólares com atividades criminosas e de ter provocado um prejuízo de 500 milhões de dólares aos titulares dos direitos por disponibilizar cópias piratas de filmes, programas de TV e outros conteúdos.

Nos Estados Unidos, Schmitz pode ser condenado a 20 anos de prisão.

Criado em 2005 e instalado em Hong Kong, o Megaupload alegava que tinha 50 milhões de usuários por dia e representava 4% da rede.

A justiça americana fechou a plataforma emblemática e controversa de download direto em 25 de janeiro, uma decisão que comoveu internautas em todo o mundo.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos