Ator Pete Postlethwaite, de "Em nome do pai", morre aos 64 anos


LONDRES, 3 Jan 2011 (AFP) -O ator britânico Pete Postlethwaite, que recebeu uma indicação ao Oscar por seu papel no filme "Em nome do pai", morreu aos 64 anos, informou o jornalista e amigo pessoal Andrew Richardson nesta segunda-feira.

Segundo Richardson, o ator morreu tranquilamente em um hospital de Shropshire, centro-oeste da Inglaterra, no domingo, depois de passar por um longo tratamento contra um câncer.

Foi indicado ao Oscar em 1994 na categoria de melhor ator coadjuvante por seu trabalho no filme "Em nome do pai", do irlandês Jim Sheridan, no qual encarnava o pai de um jovem delinquente de Belfast, interpretado por Daniel Day-Lewis, acusado de instigar atentados para o IRA.

Com seu característico nariz torto, em "Um toque de esperança" (1997), do britânico Mark Herman, dirigiu com paixão uma fanfarra local, composta de mineiros decididos a participar de uma competição musical nacional.

Junto com Benicio del Toro e Stephen Baldwin, trabalhou em "Os suspeitos", do americano Bryan Singer, e posteriormente apareceu com Kevin Spacey e Julianne Moore em "Chegadas e partidas" (2001), do sueco Lasse Hallstrom. Seus últimos trabalhos foram "A Origem" (2010), de Christopher Nolan, e "Atração Perigosa" (2010), de Ben Affleck.

Peter William Postlethwaite nasceu de uma família católica do nordeste da Inglaterra, na cidade de Warrington, e durante algum tempo pensou em ser padre. Finalmente dedicou-se à educação, antes de se lançar à arte.

Deu seus primeiros passos no teatro de Bristol, no sudoeste da Grã-Bretanha, mas precisava trabalhar ao mesmo tempo como funcionário de uma empresa que fabricava barris para cerveja.

Na metade dos anos 80, juntou-se à prestigiada Royal Shakespeare Company, a companhia de referência das obras do grande dramaturgo britânico, mas foi com o seu papel como um pai alcóolatra no filme britânico "Vozes Distantes", Prêmio da Crítica Internacional no Festival de Cannes de 1998, que conquistou o reconhecimento internacional.

O cineasta americano Steven Spielberg, que o dirigiu em "Jurassic Park" (1997) e "Amistad" (1997), afirmou que ele era "o melhor ator do mundo". Ao que ele respondeu, meio de brincadeira: "estou certo de que o que Spielberg disse, na verdade, é que 'Pete pensa que é o melhor ator do mundo'".

Conhecido por seu engajamento político, participou dos protestos contra a guerra do Iraque e trabalhou em um filme sobre o aquecimento global da britânica Franny Armstrong: "A era da estupidez" (2009).

Casado e pai de dois filhos, em 2004 o ator foi agraciado com a Ordem do Império Britânico pelos serviços prestados à arte.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos